Vivendo a vida simples

vida simples e feliz

Vocês não amam a sensação de abrir uma caixa de um sapato novo? Ou melhor, vestir aquela roupa maravilhosa que estava esperando a ocasião certa pra ser estreada? Eu com certeza adoro. Mas ao observar esse meu comportamento de felicidade ao ter uma coisa nova, percebi que o novo rapidamente se torna apenas mais um item na minha vida. A excitação da novidade passa muito rápido.

“As coisas mais simples da vida são as mais extraordinárias, e só os sábios conseguem vê-las”. Paulo Coelho

À medida que nos tornamos mais ricos, parece que adicionamos mais e mais coisas para a nossa vida. Em seguida, usamos nossa casa, nosso carro e todos os nossos bens, para justificar que ganhamos o jogo da vida. Porque só chegou lá quem tem. Mas será?

Eu particularmente passei muitos anos na minha adolescência e meus vinte e poucos anos acumulando coisas. Durante esse tempo, muito da minha autoestima foi inconscientemente associada com a quantidade de coisas que eu tinha; os nomes das marcas e as últimas tendências. Gastei um monte de dinheiro em roupas e outras coisas que me fez sentir “superior”. Essas coisas me deram um senso de identidade. Eu cresci tão ligada a essa definição de mim mesma, mas agora eu percebo que além de acumular um monte de lixo no meu espaço de vida, acumulei no meu espaço interior. Ironicamente, essas pilhas de coisas me impediram de conseguir a compreensão e a paz interior comigo mesma.

Estamos tão ansiosos para encher a nossa casa, mas tão desinteressados em limpá-la. Como resultado, agora precisamos de espaços maiores, mais espaço de armazenamento, e mais confusão para a mente.

Vocês sabiam que nos Estados Unidos as pessoas podem alugar umas garagens de self-storages e guardar todas as tranqueiras por lá? Paga-se um aluguel mensal ou anual e pode-se deixar as coisas la para depois retirar no futuro. Inclusive tem até um show de TV sobre isso: pessoas que alugam essas garagens e nunca vem pegar os pertences e os donos da garagem se apropriam e revendem as quinquilharias. Ter dificuldade para reduzir a quantidade de coisas que nós possuímos é devido ao nosso apego a essas coisas.

vida simples

Menos é realmente mais?

Há uns anos conheci um casal jovem e bem sucedido que morava num dos bairro mais caro de DC. Ele, era diretor de uma empresa grande da área financeira e ela tinha uma boutique de roupas orgânicas na área mais badalada da cidade. Além disso, eles tinham uma filhinha linda de dois anos. Éramos muito próximos e tive a oportunidade de ir varias vezes na casa deles. Lembro que tudo era muito minimalistico. Eu achava tudo muito espaçoso e simples, mas com extremo bom gosto, mas aos poucos me dei conta que não era apenas a casa. Era o estilo de vida deles.

O casal tinha apenas um carro. Na semana eles revezavam o transporte e muitas vezes ela ficava com o carro por causa da criança e o pai ia de bicicleta ou transporte publico pro trabalho, todo vestido de terno e gravata. Quando o dia estava agradável ele andava 40 min de volta pra casa. Eu sempre achei ela muito chic e estilosa e fiquei chocada quando vi seu closet e tinha umas poucas peças de roupa. Basicamente uma peça de cada. Tudo muito simples e básico. Mas pra mim ela sempre estava diferente e bonita. Então ela me explicou que fazia combinações, um dia usava uma camisa com jeans, no outro dia usava a camisa com uma saia e um scarf, no outro dia colocava uma jaqueta ou um colar mais ousado e assim ia brincando com o estilo sem se estressar. Eles só compravam comida pra semana? planejavam os menus semanal e tentavam comer tudo que tinha na geladeira antes de fazer compras de novo.

Eu os adorava como amigos, mas há alguns anos mudaram pra fora do pais por conta do trabalho dele e a nossa amizade se resume a alguns e-mails por ano e os updates do Facebook. E essa mulher rica, que tinha uma loja de roupas maravilhosas me ensinou uma lição muito importante: Quanto menos tivermos, podemos dar mais atenção às coisas que são realmente necessárias na sua vida. Que no caso para eles era viajar, curtir a filha, fazer programas de família e com os amigos.

A arte e a alegria de ter menos enquanto desfruta mais da vida pode ser resumida da seguinte forma.

Espaço Zen – Há beleza no espaço, mas deixamos de reconhecê-lo, porque não podemos ver através das coisas que possuímos. Quando abrimos espaço físico em nosso meio, uma enorme sensação de paz pode habitar dentro de nós. Este é o princípio por trás de casas em estilo japonês. A beleza em pequenos espaços é a valorização do minimalismo, onde menos é realmente mais. Precisamos entender que o espaço é para ser apreciado, não preenchido.

Conservar Energia – Ter menos pertences significa que têm menos posses para se preocupar. Certa vez conheci uma pessoa, que tinha tudo o que ela sempre sonhou. Ela tinha tantas coisas caras e tinha tanto medo de perdê-las. Grande parte de sua energia foi dedicada a proteger os seus bens.

Deixe livre o seu espaço – Quando somos lembrados de algo que possuímos, mas nunca usamos, podemos impor uma culpa auto imposta por deixá-lo sem uso. Por exemplo, eu cheguei a ter 60 pares de sapatos. Cada vez que abria meu closet eu me sentia culpada porque eu tinha sapatos que usei apenas uma vez na vida A minha culpa corroía meu espaço interno, meu espaço mental. O nosso mundo exterior é um reflexo do nosso mundo interior. Ao limpar e simplificar nosso espaço, o nosso espaço interior vai se abrir como uma flor.

Valorização –  a valorização é a semente para a abundância; abundância da mente e da alma. É incrível o quanto pouco nós realmente precisamos. Quando limpamos as nossas casas e nossas vidas e deixamos apenas o essencial, nós somos capazes de aproveitar melhor o que nós temos.

Nada externo a nós pode nos dar a felicidade permanente e verdadeira. Na verdade, temos tudo o que precisamos para sermos felizes de verdade dentro de nós.

A arte de ter menos e desfrutar mais de nossas vidas envolvem algumas mudanças simples em perspectiva. Em primeiro lugar, devemos entender quais os nossos verdadeiros valores e se concentrar neles. Então, temos de ter tempo para apreciar as coisas simples, diminuir o ritmo e ver o que está bem na nossa frente. Por isso segue abaixo o Manifesto para uma vida simples.

Manifesto para uma Vida Simples - Blog Ambiente Vistoriado copy

Como ter mais com menos?

A seguir, são sugestões e dicas para incorporar a mentalidade de ter menos na sua vida:

Faça uma coisa de cada vez – Evite multi-tasking. Quando nossa atenção é dividida entre vários pensamentos ao mesmo tempo, não podemos se destacar em nenhum deles. É melhor colocar todo o foco em uma tarefa antes de passar para outra. Eu aprendi isso da maneira mais difícil, pois apesar de me sentir produtiva, com multi-tasking, eu raramente sou. Sempre que possível, lembre-se de se concentrar no agora e mergulhe totalmente nas alegrias sutis deste momento. Tente fazer isso com as pessoas também. Não converse com alguém checando o celular constantemente ou olhando pra TV.

Desacelere – É muito fácil na velocidade do dia a dia não notar as pequenas coisas. Desacelerar é uma parte vital de simplificar sua vida e aproveitar o que você tem. Com foco, você pode obter as mesmas tarefas, porém feitas sem pressa. A chave para ser eficaz e produtivo é trabalhar estrategicamente, não cegamente. Entender por que você está fazendo e o que está fazendo.

Priorize o que é importante – Eu sei que é clichê, mas o único tempo que está garantido na nossa vida é esse momento. Pense nisso por um segundo. A vida é tão preciosa, não sabemos o que vai acontecer amanhã. E nós gastamos o nosso recurso mais valioso, o tempo, em coisas que não são importantes para nós. Na minha vida, isso significa que eu vou incluir o tempo na minha agenda para fazer o que eu realmente quero fazer. Já que o único tempo que temos é agora, certifique-se que você está usando o seu agora do jeito que você realmente quer.

Limpe a desordem – Limpar a desordem de sua casa e de sua vida é mais fácil dizer do que imagina. Muitas vezes somos emocionalmente ligados as nossas posses. Esta ligação vai além de nossa necessidade e temos dificuldade de abrir mão por conta da nostalgia. Quando estamos livres da desordem física, liberamos também a nossa mente.

Controlar seus gastos – Você já ouviu o ditado que diz que “As melhores coisas da vida são de graça.”? Passar o tempo com a família e amigos, sorrir, curtir as travessuras de um animal de estimação, passear num parque, vivenciar momentos íntimos e sinceros com um ente querido – essas coisas são preciosas, e livres. Dinheiro traz conforto, e não há absolutamente nada de errado em apreciar esse conforto. Mas é importante gastar dinheiro com as coisas que são importantes para você e deixar ir de gastar com as coisas que não agregam valor à sua vida. Quando não pensamos se as coisas que compramos são realmente essenciais nos esquecemos do porque estamos fazendo o que estamos fazendo, e os gastos se torna um hábito.

Aproveite o que você tem – Se você quer ter mais prazer em sua vida, aproveite o que você tem. Para viver a vida que você ama, você tem que amar a vida que você tem. Não temos de procurar além de nós mesmos, a fim de encontrar a felicidade. Nenhuma pessoa tem tudo o que quer; mas todos nós temos algumas coisas que vale a pena desfrutar. Assim, foque sobre as coisas que tem e aprenda a aprecia-las!

Seja Grata – Na sequência do ponto anterior. Tire um tempo para ser grato pelo que você já tem, por muito ou pouco que você possui. Contente-se com todos os pequenos presentes em sua vida, coisas como seu corpo, sua casa, seu bom estado de saúde, a cadeira que você está sentado, o computador que você tem, o respeito daqueles que você mais ama.

Pense Simples – Há tantos prazeres simples que nem sempre temos tempo para desfrutar. Você já tirou tempo ultimamente para estar ao ar livre e ver as nuvens? Quando foi a última vez que você se encolheu no sofá com um bom livro? Se você gosta de banhos, quando foi a última vez que você tomou um banho de espuma? Tire algum tempo para realmente se concentrar em algo simples – foque na sua respiração concentre-se em aproveitar as coisas simples que você faz todos os dias.

Vocês já conhecem a TAG ideias de final de semana? Lá você pode encontrar várias dicas.  Além disso, não deixe de ler o post Como Viver de Forma Simples. Lembre-se que podemos encontrar a felicidade nas pequenas coisas. Elas estão lá e quando procuramos vamos encontra-lá.

divisor

Quais são coisas simples que você gosta? Compartilhe comigo nos comentários. Gostaria muito de ouvir seus pensamentos e ideias sobre este assunto.

divisor

Gostou do texto? Compartilhe com os amigos

Deixe um comentário!

13 comentários

  1. Fiama Souza

    Nossa, que texto inspirador! Parabéns por colocar o estilo de vida minimalista de forma tão clara, eu adorei.
    Há alguns meses tenho buscado me despegar de algumas coisas antigas e praticar o consumo consciente, entretanto, nessa loucura em que vivemos é muito dificil efetuar a mudança radical.
    Respondendo a pergunta, as coisas simples que eu gosto são: acordar e olhar pela janela do meu quarto, fazer carinho no meu gatinho, cuidat das minhas plantas e principalmente ver quando elas dão flores e também ter a presença da minha família e dos meus amigos sempre por perto.

    Beijos

    http://fiamavsa.wordpress.com/

    Responder
  2. Louise Nonato

    Olá Manu, obrigada por compartilhar esse texto conosco, e por me ajudar a juntar minhas ideias que até agora não estava entendendo que estavam caminhando pra esse estilo de vida.
    As coisas simples que gosto são: ajudar minha mãe a cozinhar, e ultimamente, tenho gostado de trocar minhas experiencias de crochê com ela. Gosto de ver meu pai trabalhar. Gosto de dizer eu te amo sempre que tenho oportunidade. Descobri recentemente que quando ajudo outras pessoas, estou dizendo a elas com grande "eu te amo". Eu amo brincar com minha cachorrinha. Amo passear com meus pais. Amo puxar assunto, é divertido se envolver em situações diferentes… enfim acredito que é justamente das coisas mais rotineiras e "bobinhas", simples, que nossa vida e felicidade são feitas.

    Beijos, obrigada por seus textos, e boa semana! ((:

    Responder
  3. Anônimo

    Voce tem toda razão. A felicidade vem de dentro para fora e não de fora para dentro. As vezes o consumo esta ligado com alguma forma de carencia e para preencher esse vazio, compramos. Quando entendemos que precisamos de muito pouco para sermos felizes é por que passamos por mudanças fortes em nossas vidas. Eh muito dificil desapegar dos bens materiais mas eh essecial para ver a vida com outros olhos e entender o que é realmente importante. Eu conheci uma pessoa que disse uma vez que as coisas aprisionam a gente. Muito bom seu post. Um beijo.

    Responder
  4. Milla MMendes

    Que liindo, Manu! :') Me senti maravilhada ao ler.

    Responder
  5. Muito bom texto. É tão difícil praticar o desapego, mas acho que quando damos o primeiro passo tudo funciona. Aos poucos vamos dando valor aos atos e coisas simples da vida. Achei engraçado que seu nome é igual o da minha prima e o apelido também. Beijos!

    Responder
  6. Carol Soledade

    Eu sempre tenho essa coisa de escolher uma frase e levar pra vida. Como um mantra, que nos ajuda quando as coisas estão dando errado. Nesse texto, encontrei o meu: "Para viver a vida que você ama, você tem que amar a vida que você tem".

    thesoledade.com

    Responder
  7. Ambiente Vistoriado

    Oi Fiama obrigada pelo comentário. Também concordo com você. Adoro cuidar das minhas plantinhas também.

    Responder
  8. Ambiente Vistoriado

    Obrigada! Fico feliz que gostou do texto!

    Responder
  9. Emanuella Maria

    Que frase linda Carol. Já vou usar em algum outro texto.

    Responder
  10. Lara

    Manu obrigada pelo maravilhoso texto!!
    Já alguns meses,ou melhor um ano eu e meu esposo estamos vivendo de maneira mais simples.Passamos por meses difíceis ano passado e aprendemos que podemos ficar sem comprar coisas,como roupas e objetos,que achávamos que eram necessários e na verdade era apenas o hábito de comprar.Compramos somente o necessário,também vou ao mercado semanalmente somente para comprar o que vamos adquirir na semana,e olha essas pequenas mudanças deixam a vida muito mais leve.
    Com esse texto consegui clarear umas idéias que estava na cabeça e colocar no papel rs pois percebi o caminho realmente que quero seguir!!Obrigada mais uma vez,você é uma querida!!Sigo sei blog já faz uns 2 anos e pouco e aprendi muito com ele!beijos fique com Deus

    Responder
  11. Enquanto espero o ano novo, estou aqui lendo os seus posts!

    Responder
  12. Lucineia Britto

    Gostei muito.pois qero mudar meu estilo de vida acelerado.

    Responder
  13. Deeh Oliveira

    nossa que matéria perfeita! Adorei, parabéns!

    Responder