wal mart viagra price

Sou Emanuella Maria (Manu), uma romântica inconsolável que adora coisas vintage e viajar. Há 7 anos moro na capital americana, Washington DC e neste espaço divido um pouco da vida no estrangeiro e o que me inspira no dia-a-dia. Falo das coisas que faço, do que gosto e o que me faz feliz.

Buscar no blog















04.09.2012

couple love tumblr (3)

O casamento pra mim aconteceu espontaneamente, sem que a gente nem percebesse. Comigo, sortuda que sou, aconteceu bem assim. Nos conhecemos, foi amor a primeira vista, depois estávamos juntos, mas cada um morava em sua casa. Aos poucos a cumplicidade foi aumentando, nossas roupas começaram a se misturar, já não queríamos mais dormir separados. Não fazíamos muito planos para o futuro, curtíamos a companhia do outro, sem pactos de amor eterno, ate que um belo dias nos demos conta que já estávamos casados e depois foi só oficializar no papel, perante a família, os amigos, o juiz. A gente teve dois casamentos, um nos Estados Unidos e outro no Brasil. E tivemos tudo que poderíamos imaginar: um enxoval completo, um apartamento bacana no coração de DC, uma gatinha linda chamada Frida, uma cerimonia no campo durante o dia, e um casamento na praia no por do sol, uma lua de mel em Jericoacoara. E acho que em cada dia dos nossos quatro anos juntos, a gente casou um pouquinho..

Casei com 29 anos, nem tão nova, mas eu achava que estava velha suficiente pra saber o que eu estava procurando. Eu já tive outros namorados antes, rolos, e até já tinha morado com um ex na Alemanha. Eu estava determinada em achar o amor da minha vida e viver feliz para sempre. E eu encontrei um homem inteligente, bonito, com vários planos e ideias, que se enquadrava na minha busca, e assim a gente juntou os trapos. Mas eu também percebi que ele era um pouco sozinho e calado, mas eu estava disposta a muda-lo e fazê-lo feliz com meu amor.

E nos fomos felizes, por um tempo. Essa experiência foi incrível!

Acho que existem pouquíssimas coisas que você pode comparar ao prazer de achar alguém que você ama, que ama você, que lhe conhece, e que mesmo nas dificuldades e nos momentos mais difíceis, continua lhe amando e lhe suportando. Não é fácil encontrar esse sentimento, ou às vezes você o encontra momentaneamente, por um período de tempo e foi o que aconteceu comigo.

O amor verdadeiro durou algum tempo após o casamento, mas logo as coisas mudaram. Ele que antes era atento e disponível, depois com o tempo, percebi que a porta fechou, que as coisas mudaram. Mudaram para mim e mudaram para ele. Um das grandes diferenças entre namorar e casar é a forma que a gente se apresenta para o outro quando a gente esta tentando conquistar alguém e quando a gente já conquistou. As coisas mudam, porque você mostra quem você realmente é. E porque você descobre que não pode mudar o outro, não se muda a essência de alguém.

Eu sabia disso, mas eu continuei agindo que adorava ficar em casa nos finais de semana, quando na verdade eu odiava. Ou quando eu pretendia que adorava discussões politicas, quando na verdade isso me entediava. E ele atuava quando ele amava passar tempo com meus amigos e minhas festinhas e reuniões em casas, quando na verdade, ele queria estar sozinho, lendo um livro. Ou quando ele fazia planos de viagem comigo no final de semana, quando na verdade ele queria ficar lendo sobre politica, ou jogando no vídeo game.
E foi assim, depois de quatro anos juntos, nos separamos. Eu descobri que precisava de alguém mais parecido comigo, que se doasse mais, que se comunicasse mais, que estivesse disposto a viver uma aventura todos os dias e ele precisava ser quem ele era de verdade. E não fingir para agradar.

E aqui vai minha sugestão – Seja você. Não tente ser outra pessoa. Não tente mudar o outro.

Um casamento feliz é um sonho pra muita gente. Mas casamento é um compromisso sério, porém não deveria significar prisão, submissão, anulação. Mas isso precisa ser baseado na sinceridade, conhecendo e mostrando quem você realmente é. Isso não é pra todo mundo. É preciso esforço e uma grande dose de compromisso e paciência. Não é um prêmio Nobel para a vida.

Uma coisa que aprendi com tudo isso é que não tenho medo de amar, mesmo que não seja amor de conto de fadas, pois pra mim o que vale é que seja eterno enquanto dure.


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

22 Comentários




 
Veja também: