Sou Emanuella Maria (Manu), uma romântica inconsolável que adora coisas vintage e viajar. Há 7 anos moro na capital americana, Washington DC e neste espaço divido um pouco da vida no estrangeiro e o que me inspira no dia-a-dia. Falo das coisas que faço, do que gosto e o que me faz feliz.

Buscar no blog











20.12.2013

Um de meus mentores favoritos ficou conhecido por por citar o mantra “os líderes são leitores” com paixão e frequência. E uma das minhas resoluções para 2014 foi ler mais. No outro dia teve um queima numa livraria aqui perto de casa, e comprei vários livros: incluíndo um curso de photoshop, um manual pra usar minha camera (já tenho ha um ano mas não sei fazer nada), dois livros de culinária , um dicionário de espanhol, um livro com fotos de gatinhos (só porque estava barato) e o livro Um milhão de quilômetros em mil anos do Donald Miller. Eu terminei de ler o livro ontem e pensei em compartilhar com vocês um pouco sobre ele, caso vocês estejam procurando algo novo para se perder numa tarde de domingo.

Para começar, eu não conhecia o trabalho de Donald Miller, mas eu adorei o estilo da escrita dele. Ele é honesto, às vezes surpreendente, escreve em tom de conversa e quando eu estava lendo seu livro, fiquei imaginando o jeito que o Donald fala. Foi meio como ter uma conversa gostosa com um amigo que não se vê há muito tempo em uma cafeteria, com uma bossa nova de fundo e o moedor de café fazendo barulho no segundo plano. Fiquei inebriada pelas palavras dele.

O livro é uma crônica de um momento na vida dele, onde ele se questionou e ao mesmo tempo respondeu a pergunta: O que você faria se pudesse mudar o roteiro de sua vida? Ele comenta como ele passa pelo processo de re-escrever suas memórias para torná-las mais interessante para o grande ecrã, ele também embarca em uma jornada interessante de auto-descoberta e investigação. Um milhão de quilômetros em mil anos é a crônica dessa oportunidade singular de reinventar a própria jornada, e é legal ler para se inspirar.

Encontrei-me pensando nessa frase: “Isso é como eu me senti há anos, mas nunca poderia realmente colocar em palavras”. Reconheci também muito de mim nele. Donald e eu somos muito parecidos em nossas opiniões e na nossa vida, e depois de ler o livro eu me sinto inspirada para olhar para a história da minha vida que eu estou contando para ter certeza que estou escrevendo um conto que vale a pena contar. Eu sou muito a favor de tomar riscos na nossa vida. É tão fácil viver na mesmice e ter um dia igual a outro, comer todo sábado naquele restaurante que você vai há anos e até os garçons lhe chamam pelo nome, ou fazer aquele programa sagrado de domingo de cinema/praia/filme em casa, ou namorar aquele cara só porque não quer ficar sozinha, ou ficar naquele trabalho chato só porque ainda não apareceu coisa melhor. Mas e se fosse diferente? E se de repente você acordasse de um sonho, ou melhor, vivesse um sonho e tudo fosse diferente? Que tal parar por cinco minutos e pensar, o que seria diferente? O que te faria sorrir agora? O que te faria feliz? E porquê esse sonho não pode virar realidade?

Bem, eu mudei o roteiro da minha vida, eu larguei tudo e vim para os Estados Unidos em 2007. Passei por vários obstáculos, mas deu certo. Hoje eu vivo a vida que escolhi pra mim. Se eu consegui, você também consegue. Quem sabe você pode mudar a sua também…

Eu recomendo o livro. Vai fazer você pensar duas vezes sobre as decisões que toma diariamente.

 Se você gostou deste artigo, deixe um comentário e compartilhe.
Siga o Ambiente Vistoriado no facebook twitter.
Inscreva-se para receber as atualizações por email. 


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

12 Comentários




 
Veja também:








 

07.02.2012

Eu adoro ler e sinto um prazer imenso em entrar numa livraria ou biblioteca. Passo horas e horas folheando as páginas, olhando as capas, me inebriando com o cheiro do papel, pensando qual livro vou levar pra casa. Sempre foi assim, desde nova. Já tive um ponto de preferir a companhia dos livros do que de certas pessoas e gosto de incentivar todo mundo a ler.

Os livros são como compartilhar segredos com outras pessoas. Se você não ler, você está se negando a alegria de conhecer novos pensamentos, novos mundos e novas experiências – tudo a partir do conforto de sua própria cama, do sofá, ou do assento do ônibus.

As pessoas muitas vezes sentem-se sobrecarregados com a tarefa de leitura – inclusive eu, principalmente quando tem que ler coisas chatas pra universidade e muitos se desanimam. Mas você pode encontrar escritores que ama, dessa forma a leitura torna-se um prazer.

O que você deve lembrar é que os livros estão aí para serem desfrutados, não para insultar-nos, e há uma abundância deles lá fora, que seria insensato limitar-se a apenas um. 

 Comece um novo relacionamento com os livros.

Vá a uma biblioteca muito boa, ou uma dessas livrarias gigantes, que tem de tudo um pouco; pegue uma pilha de livros interessantes  e tente ter uma idéia de cada um na sua totalidade.

Se apaixone pelo título, percorra as páginas, parágrafos e capítulos com os olhos, leia a página de sinopse e se puder leia um pouco do conteúdo, da introdução - este é um livro para você? Não? Deixe ele de lado e vá para o próximo. Se gostou, não pense duas vezes e já engatinhe a leitura.

Agora se você já começou um livro e ele está guardado há semanas na gaveta, dê uma segunda chance, tente terminá-lo antes de passar para o próximo.  Não esqueça de registrar os pensamentos principais, sublinhar se for preciso, e reflita no que vai fazer com essas lições. Os livros não só nos ensina sobre o resto do mundo, eles nos ensinam sobre nós mesmos.

E então, qual livro você está lendo?

Deixe um comentário com seus livros preferidos e sugestões para os próximos livros. <3


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

15 Comentários




 
Veja também:








 

03.02.2012

Eu comprei um livro de decoração.“Undecorate: The No-Rules Approach to Interior Design”, e estou adorando. Pouca gente sabe que tenho essa queda por decoração. Acho que não saberia decorar a casa de outra pessoa, porque considero isso algo muito pessoal, mas respeito demais o trabalho de arquitetos e decoradores. Meu ap foi decorado por mim mesma, porque não abro mão de fazer as coisas do meu jeito, mas esses profissionais dão toques originais e ajudam a gente a dar cara nova ao básico. Quando estou de bobeira em casa eu gosto de visitar sites de decor e no meu computador tem uma pasta pra salvar as fotos que me inspiram. Pra quem gosta de decor, também tem uma aplicação otima pro iPhone ou iPad chamada Houzz, tô viciada nessa app.

Fico boba quando entro numa casa sem graça, sem vida, sem alma. Eu gosto de mesclar coisas vintages com toques modernos, recentemente comprei uma credenza dos anos 50’s que estou em “love”. Todo mundo que vem na minha casa comenta da peça, que é de madeira escura de excelente qualidade. Antigamente as coisas eram feitas pra durar, hoje em dia você compra um móvel do ikea e só dura 3 primaveras e já é hora de trocar. Uma tristeza só.

Tenho uma amiga dura pra caramba, que mora numa casinha linda onde tudo lá foi decorado com a ”sobra” da casa dos outros, com re-aproveitamento de materiais, com invenções da cabeça dela, e é dos lugares mais simpáticos e com personalidade que conheço, me sinto bem demais quando a visito, é um lugar com graça e movimento!
Um parede colorida muda tudo né? Na minha opnião a casa da gente tem que ter cor, humor, alegria, flores, música, simpatia, objetos pessoais trazidos de viagem ou comprados em feirinhas, tem que ter um estilo próprio, um jeito de lugar “vivido”, habitado. Não entendo quem não dá valor para o lugar onde passa a maior parte do seu tempo. Tem tanto apartamentão por aí que é sóbrio, triste, sem nenhum objeto colorido ou espontâneo… Não gosto de lugares austeros, que rejeitam o prazer.

Acho que a casa da gente tem que ter um toque divertido. Adoro meu ap, qualquer dia desse eu mostro aqui pra vocês. Mudei em junho do ano passado e ainda faltam algumas coisas, mas já estou louca pra dar uma incrementada, quero pintar a parede da sala, mas meu marido é um chato na hora de escolher as cores. Também quero trocar a sala de jantar, vou mandar ampliar umas fotos, botar ainda mais plantas por todo lado…

E você gosta do lugar onde mora? Tem que gostar né!!


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

4 Comentários




 
Veja também:








 

04.12.2009

whowhawear


Como eu, muitas das leitoras do blog visitam periodicamente o site Who What Wear. Então percebi que entre o wish-list de várias blogueiras está o recém lançado livro do site ” Who What Wear: Celebrity and Runway Style for Real Life”. Como moro aqui na gringa as coisa são um pouco mais acessíveis e resolvi adquirir esse tão comentado livro e confesso que estou amando.


Ele virou meu livro de cabeceira e recomendo para todas as meninas que estão buscando um bom presente de natal ou mesmo querem se presentear.

O livro custa $13 no amazon e é super cheio de dicas e informações para acrescentar estilo e bom gosto no seu visual. Ele encoraja as leitoras a se conhecer melhor e suas preferênças fashions usando a inspiração e um quadro de inspiração. Ele não tenta reinventar a roda e dá dicas úteis, fala das melhores escolhas pro dia-a-dia, como conhecer melhor seu bio-tipo ( o que funciona ou não funciona para você), como trazer as tendências da moda para o seu guarda roupa e quando vale ou não vale a pena investir nesses “trends”.



IMG_0487


Meu favorito capítulo é o útimo que dá dicas de como se vestir para cada ocasião, desde um casamento chiquerrímo, a um encontro com o namorado, uma ida ao teatro ou um jogo de futebol. Fala o que é mais adequado para cada ocasião, o que evitar, que acessórios investir para compor um visual harmonioso e fashion ao mesmo tempo.


IMG_0494IMG_0497IMG_0498IMG_0502IMG_0503


Fiz um super vídeo de review que dá mais informações do livro. Espero que gostem!!!



Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

4 Comentários

Categorias: filmes, músicas & afins | Tags:



 
Veja também:








 

21.07.2009

BookCoverG10_14Web1

O livro do The Sartorialist já foi pre-lançado  e está causando o maior furor, com data prevista para lançamento no dia 12/08 aqui nos Estados Unidose eu já fiz a minha pré-encomenda pela Amazon.

Scott Schuman é o fotógrafo por trás desse livro e há anos pega imagens de pessoas na rua, dando enfase ao estilo e ao modo de vestir. O seu blog The Sartorialist, ficou famoso por retratar o StreetStyle. Quando o livro chegar eu irei publicar as melhores fotos para voces.


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

4 Comentários

Categorias: filmes, músicas & afins | Tags:



 
Veja também: