wal mart viagra price

Sou Emanuella Maria (Manu), uma romântica inconsolável que adora coisas vintage e viajar. Há 7 anos moro na capital americana, Washington DC e neste espaço divido um pouco da vida no estrangeiro e o que me inspira no dia-a-dia. Falo das coisas que faço, do que gosto e o que me faz feliz.

Buscar no blog











04.09.2012

couple love tumblr (3)

O casamento pra mim aconteceu espontaneamente, sem que a gente nem percebesse. Comigo, sortuda que sou, aconteceu bem assim. Nos conhecemos, foi amor a primeira vista, depois estávamos juntos, mas cada um morava em sua casa. Aos poucos a cumplicidade foi aumentando, nossas roupas começaram a se misturar, já não queríamos mais dormir separados. Não fazíamos muito planos para o futuro, curtíamos a companhia do outro, sem pactos de amor eterno, ate que um belo dias nos demos conta que já estávamos casados e depois foi só oficializar no papel, perante a família, os amigos, o juiz. A gente teve dois casamentos, um nos Estados Unidos e outro no Brasil. E tivemos tudo que poderíamos imaginar: um enxoval completo, um apartamento bacana no coração de DC, uma gatinha linda chamada Frida, uma cerimonia no campo durante o dia, e um casamento na praia no por do sol, uma lua de mel em Jericoacoara. E acho que em cada dia dos nossos quatro anos juntos, a gente casou um pouquinho..

Casei com 29 anos, nem tão nova, mas eu achava que estava velha suficiente pra saber o que eu estava procurando. Eu já tive outros namorados antes, rolos, e até já tinha morado com um ex na Alemanha. Eu estava determinada em achar o amor da minha vida e viver feliz para sempre. E eu encontrei um homem inteligente, bonito, com vários planos e ideias, que se enquadrava na minha busca, e assim a gente juntou os trapos. Mas eu também percebi que ele era um pouco sozinho e calado, mas eu estava disposta a muda-lo e fazê-lo feliz com meu amor.

E nos fomos felizes, por um tempo. Essa experiência foi incrível!

Acho que existem pouquíssimas coisas que você pode comparar ao prazer de achar alguém que você ama, que ama você, que lhe conhece, e que mesmo nas dificuldades e nos momentos mais difíceis, continua lhe amando e lhe suportando. Não é fácil encontrar esse sentimento, ou às vezes você o encontra momentaneamente, por um período de tempo e foi o que aconteceu comigo.

O amor verdadeiro durou algum tempo após o casamento, mas logo as coisas mudaram. Ele que antes era atento e disponível, depois com o tempo, percebi que a porta fechou, que as coisas mudaram. Mudaram para mim e mudaram para ele. Um das grandes diferenças entre namorar e casar é a forma que a gente se apresenta para o outro quando a gente esta tentando conquistar alguém e quando a gente já conquistou. As coisas mudam, porque você mostra quem você realmente é. E porque você descobre que não pode mudar o outro, não se muda a essência de alguém.

Eu sabia disso, mas eu continuei agindo que adorava ficar em casa nos finais de semana, quando na verdade eu odiava. Ou quando eu pretendia que adorava discussões politicas, quando na verdade isso me entediava. E ele atuava quando ele amava passar tempo com meus amigos e minhas festinhas e reuniões em casas, quando na verdade, ele queria estar sozinho, lendo um livro. Ou quando ele fazia planos de viagem comigo no final de semana, quando na verdade ele queria ficar lendo sobre politica, ou jogando no vídeo game.
E foi assim, depois de quatro anos juntos, nos separamos. Eu descobri que precisava de alguém mais parecido comigo, que se doasse mais, que se comunicasse mais, que estivesse disposto a viver uma aventura todos os dias e ele precisava ser quem ele era de verdade. E não fingir para agradar.

E aqui vai minha sugestão – Seja você. Não tente ser outra pessoa. Não tente mudar o outro.

Um casamento feliz é um sonho pra muita gente. Mas casamento é um compromisso sério, porém não deveria significar prisão, submissão, anulação. Mas isso precisa ser baseado na sinceridade, conhecendo e mostrando quem você realmente é. Isso não é pra todo mundo. É preciso esforço e uma grande dose de compromisso e paciência. Não é um prêmio Nobel para a vida.

Uma coisa que aprendi com tudo isso é que não tenho medo de amar, mesmo que não seja amor de conto de fadas, pois pra mim o que vale é que seja eterno enquanto dure.


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

22 Comentários




 
Veja também:








 

30.07.2012

Caro leitor,

Tenho estado muito ausente das palavras, não elas de mim. Apesar de ter materializado poucos textos, minha cabeça não pára de tecer metáforas e escrever missivas, descrever paisagens, sonhar acordada. Tenho recebido vários emails, comentários, mensagens via twitter, sinal de fumaça, de leitores pedindo pro blog voltar. Desculpe todo transtorno e a falta de posts aqui no blog… mas estou em obras.

As palavras vão aparecer devagarinho, e os posts vão surgir aos poucos, lembrem-se que temos uma relação de amizade e por isso não deve haver pressa. Venho refletindo muito sobre a felicidade e percebi que tenho sentido a felicidade da forma como eu nunca havia idealizado. Percebo que após tantas perdas, havia me tornado pouco exigente com algumas coisas. E a vida, sábia, não querendo que a minha fé diminuísse me deu coisas tão maiores e melhores do que eu esperava. Nesses últimos meses tiveram tantas mudanças na minha vida, novos recomeços, pessoas saindo, pessoas entrando, o inicio de novos hobbies, o corte de velhos hábitos, lindas viagens…

E eu descobri algo muito difícil de compreender: a felicidade não tira o medo nem a melancolia de ninguém. O medo é uma necessidade de autopreservação e a melancolia pode ser a coisa que mais desenhe poesia num olhar. Descobri que a felicidade é um estado de espírito e isso é uma responsabilidade grande demais minha gente. Pois a felicidade não nos tira os pesadelos nem planta um sorriso eterno no nosso rosto. Ela vem na superação de um desafio, em forma de alívio. Ela respeita nosso livre arbítrio e nossa vontade de me sentir infeliz apesar de. Ela está à disposição de qualquer um que queira vibrar neste estado. A gente é que se afasta dela. Se a gente se apega ao sofrimento, às sobras, às incompletudes e às reclamações, como é possível simplesmente estar feliz e agradecer?

Um dos posts mais procurados e comentados aqui do blog é 50 coisas para fazer quando você esta triste, e percebi com os comentários que ser feliz dá muito trabalho porque você tem que se desvencilhar da tristeza.

Bem o blog vai voltar, esta voltando, mas não esqueçam que essa viagem pra dentro , talvez seja a mais longa, porque eu precisava entender que nada me faltava, eu sempre tive o suficiente de acordo com as minhas escolhas. A felicidade talvez seja só uma escolha…  Pensem nisso!!


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

15 Comentários




 
Veja também:








 

14.12.2011

Ser feliz deveria ser algo simples, mas mesmo assim não é. Na verdade ser feliz é algo que muitas pessoas buscam a cada dia, pois alguns dias, talvez você se sinta mais eufórico, revigorado, inspirado - mas em outros dias você se sinta triste, para baixo, desorientado. É normal! Eu sei, porque é assim comigo, todo dia é diferente. Mas o que você deve saber é que a felicidade é uma contínua evolução - e não uma conclusão. Você pode ser feliz sem um final feliz, tornando-se dessa forma, uma prioridade para perpetuar práticas de felicidade no seu dia-a-dia. Sempre!

Está chegando o final do ano, época de nostalgia, de repensar a vida e de fazer novos planos. Então resolvi presentear vocês com algumas medidas proativas para você tomar como exemplo na sua busca para essa auréola de felicidade indescritível.

<3 Escreva uma lista das coisas que você fez e conseguiu. Eu amo escrever listas, mas recentemente tenho notado que a maioria das minhas listas são “to do lists”, coisas que fico me cobrando pra fazer, sem nunca parar para perceber ou recompensar-me pelas coisas que eu já fiz. Como o ano  está chegando ao fim, é claro que você deve ficar animado com toda a magia e vai fazer vários planos incríveis para 2012 – mas eu a encorajo a celebrar num papel, ou numa aplicação do celular, as maneiras em que 2011 foi um grande ano pra você. Todas as coisas que você adquirida e conquistou: emocionalmente, fisicamente, espiritualmente, materialmente, financeiramente… E celebre isso, mesmo que seja no seu coração. Por exemplo, eu consegui passar dois meses sem tomar coca-cola e pra mim foi super difícil, porque eu amo (achava que amava) coca-cola e tomava quase todos os dia. Ficar dois meses sem beber, foi uma prova que eu consegui resistir a minha tentação, me fez aprender a gostar de outras coisas e pensar melhor na minha alimentação. Outra coisa que sou grata é que esse ano terminei meu mestrado aqui em Washington DC, e pra mim foi tão difícil, passei por tantos obstáculos. Estudar em outro pais, ler livros acadêmicos em uma língua que não é minha, escrever em inglês, falar na classe na frente de vários americanos, escrever uma TESE de mestrado.  Ui!!! Só eu sei os rios de lágrimas que eu chorei até terminar esse programa, e olha que muitas vezes pensei em desistir, achava que e não era capaz, e hoje nem acredito que acabou. Que tenho meu diploma!! Que alivio, que sensação de alegria! Uma outra coisa bacana pra comemorar é que eu dobrei as visitas no blog esse ano!  Abri a lojinha online. Voltei na minha casa na Alemanha depois de 6 anos e também foi uma sensação incrível.

<3 Deixe pra la. Deixe pra la aquela meta que você criou mas que seu coração não esta realmente dentro.  As vezes é bom dar um tempo, pra começar lá na frente melhor. Deixe pra lá os sonhos e comece a fazer coisas concretas. Deixe pra lá aquela discussão boba. Alivie a sua carga negativa, permita apenas que as coisas boas entre na sua vida. Se AQUILO, não é mais excitante, não lhe emociona mais, não faz seu coração vibrar “let it go” Deixei isso pra la. Você vai se sentir muito melhor, muito mais leve, e é sempre melhor investir suas energias em coisas que fazem seu coração pulsar e os olhos brilharem. Isso é válido pra uma pessoa, um emprego, um ideal, uma coisa, tudo!!

<3 Passe algum tempo sozinho - e fique feliz com sua própria companhia. Estava falando recentemente com uma amiga e ela me confessou esses dias que desde o fim do relacionamento dela de longo prazo, ela passou muito tempo sozinha. Calma, reflexiva, muitas vezes triste, mas principalmente, com a alegria da sua própria companhia, e ela me confirmou que essa fase foi incrivelmente esclarecedora.  Ela Aprendeu a ouvir sua própria voz. Aprendeu a cuidar dela - fazendo refeições saudáveis​​, mantendo o espaço em torno dela arrumado, se animando e descobrindo uma nova rotina. Aprendeu a se deixar de fora quando era preciso e também a se empurrar quando era necessário. Incrível por que ela aprendeu a ser a pessoa favorita dela mesma e isso é super benéfico para o próximo relacionamento dela, porque ela não vai estar dependente de um parceiro como um apoio emocional, pois o próximo vai estar na vida dela puramente para amar e ser amado.

Mesmo se você estiver em um ótimo relacionamento, e até mesmo se o pensamento te assusta, tente mesmo assim passar um pouco de tempo sozinho - uma longa caminhada tranqüila, uma tarde lendo livros na cama, uma noite em casa cozinhando apenas para você. Talvez ler esse outro post pode te ajudar.

<3 Seja seu melhor amigo. Eu sei que a dica de acima não é fácil para todo mundo, mas amar a sua própria companhia é uma prática valiosa - porque você nunca sabe quando a vida pode lhe pedir para ficar sozinha por um tempo. Uma maneira legal que você pode aprender a ser mais gentil com você mesma – é sendo seu próprio aliado  -  eu tirei essa dica do livro solemate. Pois bem, feche os olhos e se visualize como uma criança pequena. Se veja como algo novo e precioso que está no mundo, e como você precisa de cuidados e encorajamento para alcançar seu potencial (você já viu como os pais falam com as crianças quando elas estão aprendendo a andar e a cair? “Não foi nada! Foi só um susto! Parabéns, você consegue! Continue, você esta indo bem! Se você quer seu carrinho, vai ter que vir até aqui” ).

Uma coisa que me incomodava sobre viver sozinha e sair da casa dos meus pais era lavar os pratos - eu detesto lavar louça! E agora eu não tenho ninguém para fazer isso para mim. Ao invés de sentir raiva todos os dias por esta tarefa inevitável, no entanto, eu decidi mudar a minha mentalidade, e agora eu obedientemente faço porque é uma coisa agradável e faço por mim mesma, por que gosto de ver a cozinha limpinha, de ver tudo organizado. Se eu deixar pra depois ou esperar que alguém faça, a confusão só vai entrar no meu próprio caminho, então eu reconheço, e ao fazê-los eu estou dando ao meu futuro a alegria de uma cozinha limpa! Simples, mas revolucionário.

<3 Se aproxime. Embora seja importante a amar a sua própria companhia, também é importante para voce construir um grupo ao seu redor cuja companhia você também adora - e que te inspira. Como a vida está sempre mudando e evoluindo, é importante que a gente continue se desafiando a conhecer novas pessoas, para sair da nossa zona de conforto. Isso não faz nossos velhos amigos menos importante, isso apenas significa que podemos aprender a colocar um pouco menos de pressão sobre eles para satisfazer as necessidades da nossa amizade. Isso também significa que estamos constantemente aprendendo - porque não há nada como uma nova pessoa para nos surpreender e nos educar  com as diferente maneiras de ver o mundo. Como fazer isso so cabe a  voce – que tal fazer uma nova classe, ou puxar papo com colegas de trabalho, fazer voluntariado, ou um curso de danca, entrar na academia… – o mais importante é que você está se empurrando para situações desafiadoras, mas recompensadora.

<3 Defina as suas próprias metas-mensagens para a felicidade. Não é engraçado como as coisas que fariam você feliz estão só aumentando? Já parou pra pensar nisso??? No passado, por quase toda a minha vida, minha meta era ser independente, e ser independe pra mim era sair da casa dos meus pais e ter a minha própria casa. Agora que eu tenho a minha própria casa e eu estou vivendo nesse objetivo. Mas mesmo assim, inevitavelmente, tenho mentalmente uma nova versão ilustrada do que seria a felicidade. A felicidade seria uma cozinha toda em inox e topo de granito, uma cama king com uma cabeceira vintage, um quintal para fazer churrascos no verão, um banheiro com hidro..  a lista é longa! A menos que eu esteja preparada para me afundar em uma quantidade enorme de dividas, não posso ter essas coisas agora. Então isso significa que eu estou oficialmente infeliz? E, quando eu irei  eventualmente obter essas coisas? – em um, dois, três anos?  - Para algumas pessoas eu apenas ilustrei a nova versão da felicidade. As coisas que elas não tem.  Um bolsa LV, um sapato Chanel, aquela casa de praia com piscina e sauna, o carro importado…  A caça material para a felicidade tem de ser parada agora, porque nunca vai terminar em satisfação – pois é a própria natureza do consumismo: continuar consumindo.

A solução é definir a sua própria meta-mensagem, além do material e das condições externas que a vida pode lhe dar livremente, mas também livremente tirar. Este é provavelmente apenas um caso de re-focar e olhar para os grandes dons e coisas boas que você já tem - a sua saúde, sua família, seu trabalho significativo, o seu próprio caminho que é precioso, sua cultura, algum dinheiro no banco que você juntou, que significa liberdade e oportunidade, não apenas um montão de COISAS. O seu lugar que é confortável para se viver  e que você pode enfeitar de inúmeras formas, sem qualquer investimento financeiro de qualquer natureza.

<3 Alegre o seu redor. Criar uma atmosfera que nos traz alegria é muito importante - só precisamos re-imaginar exatamente como nós ganhamos a alegria através disso. A vida é curta gente, então use o seu ‘melhor’ hoje – Durma nos seus melhores lençois, vista as suas melhores roupas, use  aquele seu antigo jogo de chá que você está com medo de quebrar e que so usa nas ocasioes especiais (ou seja, nunca). Coloque aquelas luzes de natal  para iluminar algum lugar da sua casa (mesmo que nao seja natal) para adicionar magia e calor a um espaço escuro. Coloque os itens que você ama – como aquela sua coleção de anjinho, ou o seus livro favoritos, ou todas aquelas fotos de entes queridos que você tem encaixotado em um lugar de destaque na sua casa onde todos possam ver, pegar, comentar. Tire um dia de folga para se dedicar inteiramente em fazer o seu ambiente – sua casa, seu quarto, seu escritorio, sua varanda, sua cozinha em um espaço que faça você feliz. Seja criativo. Pinte uma parede com uma cor vibrante e diferente, ouse!! Ou talvez faça uma colagem de tecido em umas cadeiras velhas, consiga um mapa do mundo e pine os lugares você já visitou ou os lugares que você quer conhecer. Junte um saco das tranqueiras que estão apenas sendo acumuladas e faça uma doação.

Quando me mudei para meu novo apartamento me livrei de um monte de coisas. Embora fosse difícil me desligar de algumas coisas, tentei nao pensar duas vezes. E nada me faz falta.. No fim das contas, se você pode se esquecer de algo por mais de 8 meses, por que você ainda precisa disso?? Hoje eu me sinto muito mais livre de ter apenas o essencial, itens requintados que eu adoro e que me cercam.

Espero que você tenha gostado desse artigo e que ele tenha lhe inspirado pelo menos um pouco em como ser feliz. Lembre-se a vida não precisa ser perfeita pra ser maravilhosa.  Deixe seu feedback nos comentários, me siga twitter e facebook, mas não esqueça de dividir o amor e passe esse link por aí. Beijos e cupcakes.

 

Manu

 


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

4 Comentários




 
Veja também: