Reflexão sobre voltar ou não para o Brasil

320617_10150424557684899_8363566_n

“Costumo responder, normalmente, a quem me pergunta a razão das minhas viagens: que sei muito bem daquilo que fujo, e não aquilo que procuro. -” Michel Eyquem de Montaigne

Agora estou de férias no Brasil. Vim passar 15 dias na minha cidade natal. Adoro vir para Fortaleza, rever meus amigos, passar tempo com minha família, comer meus pratos favoritos. Mas confesso que não sinto nenhuma vontade de voltar a morar aqui novamente. Sei que as praias são lindas, o povo é legal, a comida é boa, mas não existe preço que pague a minha liberdade, de poder andar sozinha a noite na rua, ou de ir de bicicleta para o meu trabalho,  de ter transporte público de qualidade, de não ter medo de ser assaltada ou que a minha vida está em constante perigo.

Hoje a vizinha que mora do lado da casa da minha mãe foi assaltada na porta da casa. Não aconteceu nada com ela, só tentaram levar o carro. Só isso… Semana passada minha irmã presenciou um ônibus ser completamente saqueado no trânsito. Vi pelo Facebook que um dos meus melhores amigos foi sequestrado depois que saiu de uma balada e foi deixado de cueca no meio do nada, vi recentemente que um fulano de tal fez um vídeo dando tiros na rua, enquanto estava num carro em movimento em Fortaleza, uma atriz foi ridicularizada porque estava andando de ônibus Rio de Janeiro. Eu não quero essa vida pra mim. Aliás que vida é essa?

Não sei como anda a situação na cidade de vocês, mas em Fortaleza o negócio não tá bem. Todo mundo está reclamando e infeliz com os problemas, principalmente relacionados a violência.

Eu sei que falar mal do Brasil é comprar briga com muita gente. Mas pessoas diferentes tem valores diferentes. Ninguém está errado ou certo, é o que cada um considera importante na sua vida que faz a diferença entre ficar e voltar.

Deixe um comentário!

11 comentários

  1. Jess

    Manu, se fortaleza não tá bem, SP tá bem pior.

    A situação aqui está insustentável. Eu moro em Guarulhos, na divisa com a cidade de São Paulo e se eu quiser ir de bus para a cidade tenho que pagar R$5,00. Serio, são 20 minutos a pé. Mas o transporte está tão caro que se deslocar está cada vez mais difícil. Isso sem falar que vamos que nem sardinha. Eu enfrento 4 horas todo dia dentro de trens e ônibus para estudar. Já quase fui pisoteada, já cai no vão do trem, já vi gente morrer no trilho… coisas que não saem no jornal, mas que a gente enfrenta TODO DIA nas linhas mais pobres dos trens de SP.

    A comida está cara demais. Já começamos a sentir na pela a inflação. Um alface r$2,00; o kilo da carne tá r$20,00; o feijão quase r$5,00… E nem vou comentar a especulação imobiliária, porque esse blog é a prova disso: http://www.estamosricos.com.br/

    Tudo isso faz com que a violência aumente ainda mais. Com a copa chegando, as desocupações em comunidades carentes, o aumento do “policiamento pacificador”, o aumento do custo de vida próximo aos estádios, faz com que a gente sinta na pele o aumento dos assaltos na rua.Da violência em geral. Pelo menos pro aqui o negócio é pesado. Na frente da minha escola vivem pelo menos 10 moradores de rua que já armaram sua barraca lá.

    é o caos. Sei que muita gente não gosta que se grite ao mundo os problemas do Brasil, mas sério, chega de hipocrisia, não dá pra varrer a sujeira para o tapete. Estamos chegando perto de uma situação limite. Eu não sei se é porque moro na periferia de SP que sinto as contradições mais latentes, mas é porque cansa você ter que literalmente matar um leão por dia. Estou cansada de barbárie, e as vezes eu penso que seria ideal largar tudo e simplesmente fugir.

    O Brasil tem coisas boas, mas fica cada vez mais difícil pensar somente nelas. Ano passado eu conheci o nordeste e o norte pela primeira vez e adivinhem? fui assaltada com violência na frente de uma universidade, as 19hrs. Me deram tanta porrada para eu largar a bolsa que não é pela questão material, mas pela dignidade mesmo. Enfim, a gente acaba tendo que se adaptar a violência. Eu mesmo não sei o que é andar na rua tarde da noite. tenho medo.

    Pra finalizar, assisti um vídeo muito bom essa semana do canal “casal partiu”. Eles viagem há 3 anos pelo mundo e relatam como realmente o Brasil é bem mais violento que os lugares que eles já conheceram, como tudo está mais caro, como os serviços sociais são mais precários… e é revoltante, porque a gente se depara com a triste verdade que nossa casa anda mais mal do que a gente pensa.

    Desculpa o comentário desabafo e o tom pessimista das minhas palavras, mas é que estou bem no meu limite mesmo e cogito MUITO sair do Brasil.

    E seu eu fosse você, não voltava para morar não :/

    Responder
  2. Volte não minha querida…

    Responder
  3. Ana Carolina A S

    Eu tb nao volto nao Manu! E olha q a situaçao ( pra achar trabalho) aqui na Italia está de mal a pior!
    Tem coisas que nao conseguiria mais tolerar, como a violencia e a falta de educaçao…
    Nao que os italianos sejam exemplo de alguma coisa, nao sao! Só que viver duas realidades diferentes nos muda, e voltar atras é mto complicado! Bjssss

    Responder
  4. Ana Carolina A S

    Eu tb nao volto nao Manu! E olha q a situaçao ( pra achar trabalho) aqui na Italia está de mal a pior!
    Tem coisas que nao conseguiria mais tolerar, como a violencia e a falta de educaçao…
    Nao que os italianos sejam exemplo de alguma coisa, nao sao! Só que viver duas realidades diferentes nos muda, e voltar atras é mto complicado! Bjssss

    Responder
  5. Anna

    A primeira e única viagem que fiz para o Nordeste foi para a Fortaleza e fui assaltada lá. Eu conheci pessoa smuito bacanas em Fortaleza, mas o episódio do assalto é o que mais me marcou e morro de medo de voltar lá novamente. Infelizmente, lá é um lugar muito perigoso. Violência em todos os lugares existem, alguns menos, outros mais. Na minha cidade as coisas não são tão violentas quanto Fortaleza, mas é um pouquinho sim, porém eu vivo bem aqui.

    Responder
  6. Nayara Jaqueline

    Manu, essa situação é lamentável não só aí em Fortaleza, o Brasil todo está caminhando MUITO mal. Isso me deixa triste. É incrível como um País tão grande ( e diga-se de passagem: Rico! ) consegue acumular tantos problemas juntos. Por isso e também pela vontade, tenho um sonho de morar fora por um tempo. É um grande desejo! Uma experiência que espero um dia poder realizar.

    Beijo

    Responder
  7. Serginho Leal

    Tá terrível Manu, aqui é bom pra férias, e com muito cuidado. Tenho que admitir.

    Responder
  8. Sandra Campos

    Manu…o país inteiro está quase em estado de sítio(sitiada pela bandidagem e pela violência gratuita)…aqui em Curitiba está muito violenta tbem…não há prá onde correr a não ser ir embora para outro país onde se tenha mais segurança.Aqui no brasil crimes ediondos já estão sendo comuns…o que monstra em que caos vive a população.Não podemos confiar nem mesmo na polícia…pense como estamos.Meu filho foi assaltado cinco vezes a caminho do trabalho,cinco celulares roubados,pior quando ainda levam a vida da pessoa,o que é frequente agora…arrastões em ônibus é o que mais acontece por aqui,eu tenho medo de sair,de andar em certas linhas de ônibus…isso é vida?e essa violência já chegou nas cidadezinhas pacatas,pequenas do interior…Em minas,lugares que eram paraísos de tão tranquilas,agora a população está pensando para onde ir…Brasil é lindo?é lindo…povo alegre,festeiro?muito…mas e daí…não se tem segurança.

    Responder
  9. Larissa Valle

    Manu. não interprete mal, mas volta pra que? e como vc disse perder tudo que é mais preciso. A liberdade de poder andar sem medo, de caminhar sem presa, sem receito, sem ter que ficar olhando para os lados e desconfiando de literalmente todos, de não poder sair com uma roupa ou um sapato mais bonito de casa pq vc corre o risco de voltar pra casa sem eles. Aproveite tudo que vc conquistou ai em DC, pois aqui existem muitas pessoas que gostaria que morar onde vc mora, ou simplesmente fora de pandemônio que infelizmente o pais todo vive.

    Responder
  10. Raiza Moretti

    Manu,
    Quem dera eu pudesse ir também embora do Brasil! Formada em direito, resolvi fazer concurso público e passei. Hoje é a estabilidade que tanto me prende e não me permite ter essa estabilidade. Mas quem sabe na aposentadoria? Sonhar mesmo que longe sempre é possível! Aliás um belo tema para um post: “Projetos a Longuíssimos Prazos”… nos conte os seus!
    Bjos Raiza

    Responder
  11. Karyne

    Nunca morei fora, mas nos últimos meses tenho pensado muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiito!
    MInha cidade é minúscula perto dessas capitais. Aqui não passa de uns 30.000 e vou t dizer, está muito difícil. Não saímos mais a noite pra ficar andando na rua e até de manhã estamos tendo que tomar muito cuidado. As drogas estão invadindo a cidade =( e a violência tb!

    Blog do Sofá

    Responder