Quero te ensinar a voar

quero te ensinar a voar -ambientevistoriadoQuando eu era mais jovem (bem mais jovem), um dos meus maiores sonhos era andar de montanha russa. Quando eu fiz 15 anos tive a chance de realizar esse sonho, pois no lugar dá tão sonhada festa de debutante, pedi uma viagem para Disney. Bem diferente de hoje, na época o dólar era do preço do real e no meio dos troncos e barrancos minha família conseguiu realizar meu sonho.

Com meu short-centro-peito, meu Rebook branco e um corte de cabelo uó que eu tinha na época, dei a minha primeira volta numa montanha russa. Lembro que quando eu estava na fila sentia uns calafrios aterrorizantes e um mal estar no estômago. Antes de chegar no parque contei para o guia que estava realizando meu sonho e ele disse que ia comigo no carrinho da frente. Praquê?! Eu suava frio e achei que ia morrer antes de conseguir sentar no carrinho. Foram os 30 minutos de espera mais longos da minha vida.

Finalmente o carrinho chegou e o percurso demorou mais ou menos 60 segundos. Apesar do medo, a sensação de adrenalina foi incrível. Quando estávamos descendo do loop, meu corpo relaxou completamente e senti o vento forte no rosto, parecia que eu estava voando. Nunca vou esquecer a primeira vez que voei.

Eu percebi que a experiência em si foi inacreditável e muito mais inquietante foi a antecipação que aterrorizava e consumia meus pensamentos e quase me fez desistir.

Mas geralmente é assim na nossa vida. Nós nos desafiamos a fazer coisas que nos leva para fora da nossa zona de conforto. Em seguida, no meio do caminho, nos questionamos, sentimos medo. Muitas vezes desistimos e são realmente os poucos que prosseguem até o final.

não deixe o medo de cair te impedir de voar

Depois dessa montanha russa tiveram outras bem maiores, também teve o voo de asa delta, o pulo de paraquedas, mas o meu maior voo foi quando realizei meu sonho de mudar de país.

Quando eu era pequena meu livro preferido era o pequeno príncipe. Eu ficava fascinada em vê-lo pegando carona nos cometas para alcançar um novo planeta. E aquele desenho me fez acreditar que eu poderia ter mais na minha vida, que existiam outros lugares bem maiores e melhores do que aquele que eu estava vivendo, que existiriam outras pessoas que iriam esbarrar no meu caminho, novas experiências para testar, novos mundos para explorar.

Esse mês de janeiro está completando 10 anos que resolvi enfrentar meus medos e voar de verdade. Está completando 10 anos que bati asas e fui viajar pelo mundo..

Passei pela Alemanha, pelo EquadorEspanha, Itália, França, Portugal, Mexico, Canadá e há mais de 8 anos vivo em Washington DC. E para celebrar essa data querida fiz uma nova tatuagem exclusiva, feita pelo talentoso Ivan Frare.

10729165_549570295218516_166753379_n

Voar, nada mais é do que acreditar que impossível na vida é o novo normal. O medo não deve nos paralisar, pelo contrário, deve ser o combustível que vai nos fazer sentir vivos, para esticar os nossos limites e saber que mesmo quando não temos controle de tudo, tudo está sob controle.

E esse ano quero ensinar você a voar também. Hoje eu e a Bia Lombardi lançamos um minicurso gratuito

>>>> Como Fazer de 2016 o melhor ano da sua vida <<<

Mas antes de ir lá, deixa um comentário e me conta quais teus sonhos e o que te impede de voar.

Com amor,

Manu

Imagem da menina com guarda chuva e garota voando com pássaros via shutterstock

Deixe um comentário!

13 comentários

  1. Manu sim quantos voos tive medo , muitos não o fiz , muitos cai, mas acredito no valor de um sonho, e que um dia vou realizar todos os que meu coração grita.

    Responder
  2. Fabiana

    Quantos vôos não tive coragem de dar e quantos ainda darei… Amei a tatuagem! Linda em traços e significado.

    Responder
  3. Fernanda

    Estou presa em um emprego que odeio, mas que me possibilita financeiramente a fazer coisas que me proporcionam desenvolvimento e autoconhecimento que foi o que me possibilitou desenvolver meu projeto profissional. Sinto que estou prestes a voar, mas para fazer isso eu terei que abrir mão do emprego, salário e de tudo o que isso me proporciona. Me sinto como uma borboleta ainda dentro do casulo, mas com medo de fracassar.

    Responder
  4. Anna

    Meu medo é de não conseguir realizar meus sonhos quando for mais velha, meu outro medo é de que os problemas familiares que estou passando há um ano não melhorem, continuem como estão. Isso me deixa mal e me impede de voar, vejo tudo de maneira negativa, parece que nunca vou estar em paz.

    Responder
  5. Marcelle Mendes

    Sabe Manu, meus sonhos são muitos, acredito que se equivalem aos de uma menina/adolescente no frescor da vida.
    Mas infelizmente são muitos os empecilhos… Financeiros, sociais, familiares…
    Principalmente familiar. Vivi por anos sob a vontade de minha mãe, ela me manipulou psicologicamente minha vida inteira, nunca tive a oportunidade de fazer algo por mim mesma. Agora, beirando os 30, que me libertei (depois de anos fazendo terapia), não consigo oportunidades de trabalho para que eu possa dar a volta por cima e recomeçar a correr atrás do que eu realmente quero.
    Ainda tenho aquela sensação de correntes ao redor da minha alma…

    Responder
  6. Mariane

    Estou me desafiando a sair da zona de conforto, sinto-me um pouco sufocada nela. Sei que se continuar nesta zona, nenhum dos inúmeros sonhos que tenho, irão se realizar. Agora bate aquele medo, os “e se” de tudo, que tudo dará errado, que não serei capaz. Vontade de sair correndo, não sei pra onde, mas correr o mais rápido e para longe. Não vai ser fácil, não está sendo, o medo é perturbador. Mas tenho, se quero voar, enfrentar esses medos. Não sei como vai ser daqui pra frente, mas vou tentar, quero voar!

    Responder
  7. Ana Paula

    O importante é correr atrás e nunca desistir!
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br

    Responder
  8. Alessandra Lima

    Estou participando do minicurso 🙂

    Responder
  9. Monique

    Texto lindo, Manu. Muito inspirador 🙂

    Responder
  10. Isabel

    Ai, Manu… Esses seus textos me fazem ter vontade de juntar minhas coisas numa mala e sair por aí descobrindo o mundo. Eu tenho essa mesma vontade que você tinha de morar em vários países, conhecer pessoas novas, encontrar o meu lugar especial… O problema é que eu ainda sou muito nova, tenho só 18 anos, tenho que fazer faculdade, arranjar um emprego, realizar tudo o que a sociedade e os meus pais esperam de mim. Até lá, eu vou lendo esses textos incríveis que você faz e vou ficar imaginando como vai ser quando tiver essa experiência.

    Responder
  11. Ivan Frare

    Oi Manu, muito bacana a postagem!!!!
    E a tattoo ficou show!!!! =]

    Responder
  12. regiane

    Parabéns por sua determinação!! estou em busca de novos horizontes.

    Responder
  13. Marcia dos santos Peterek

    Oi, Manu,meu nome é Marcia, tenho 49 anos e assim como você , em 2001 fiz o maior vôo da minha vida. Juntei o pouco recurso que tinha com minha vontade de conhecer novos lugares , novas culturas e embarquei num vôo rumo a Portugal.Estive por lá por 6 meses e segui rumo a Alemanha, onde já vivo há quase 15 anos.Aqui dediquei-me todos estes anos exclusivamente a minha familia, mas agora tenho fome de trilhar novos caminhos e na busca de fontes de inspiracao descobri você.Obrigada pela forca!

    Responder