O que você faria se pudesse mudar o roteiro de sua vida?

por

Um de meus mentores favoritos ficou conhecido por por citar o mantra “os líderes são leitores” com paixão e frequência. E uma das minhas resoluções para 2014 foi ler mais. No outro dia teve um queima numa livraria aqui perto de casa, e comprei vários livros: incluíndo um curso de photoshop, um manual pra usar minha camera (já tenho ha um ano mas não sei fazer nada), dois livros de culinária , um dicionário de espanhol, um livro com fotos de gatinhos (só porque estava barato) e o livro Um milhão de quilômetros em mil anos do Donald Miller. Eu terminei de ler o livro ontem e pensei em compartilhar com vocês um pouco sobre ele, caso vocês estejam procurando algo novo para se perder numa tarde de domingo.

Para começar, eu não conhecia o trabalho de Donald Miller, mas eu adorei o estilo da escrita dele. Ele é honesto, às vezes surpreendente, escreve em tom de conversa e quando eu estava lendo seu livro, fiquei imaginando o jeito que o Donald fala. Foi meio como ter uma conversa gostosa com um amigo que não se vê há muito tempo em uma cafeteria, com uma bossa nova de fundo e o moedor de café fazendo barulho no segundo plano. Fiquei inebriada pelas palavras dele.

O livro é uma crônica de um momento na vida dele, onde ele se questionou e ao mesmo tempo respondeu a pergunta: O que você faria se pudesse mudar o roteiro de sua vida? Ele comenta como ele passa pelo processo de re-escrever suas memórias para torná-las mais interessante para o grande ecrã, ele também embarca em uma jornada interessante de auto-descoberta e investigação. Um milhão de quilômetros em mil anos é a crônica dessa oportunidade singular de reinventar a própria jornada, e é legal ler para se inspirar.

Encontrei-me pensando nessa frase: “Isso é como eu me senti há anos, mas nunca poderia realmente colocar em palavras”. Reconheci também muito de mim nele. Donald e eu somos muito parecidos em nossas opiniões e na nossa vida, e depois de ler o livro eu me sinto inspirada para olhar para a história da minha vida que eu estou contando para ter certeza que estou escrevendo um conto que vale a pena contar. Eu sou muito a favor de tomar riscos na nossa vida. É tão fácil viver na mesmice e ter um dia igual a outro, comer todo sábado naquele restaurante que você vai há anos e até os garçons lhe chamam pelo nome, ou fazer aquele programa sagrado de domingo de cinema/praia/filme em casa, ou namorar aquele cara só porque não quer ficar sozinha, ou ficar naquele trabalho chato só porque ainda não apareceu coisa melhor. Mas e se fosse diferente? E se de repente você acordasse de um sonho, ou melhor, vivesse um sonho e tudo fosse diferente? Que tal parar por cinco minutos e pensar, o que seria diferente? O que te faria sorrir agora? O que te faria feliz? E porquê esse sonho não pode virar realidade?

Bem, eu mudei o roteiro da minha vida, eu larguei tudo e vim para os Estados Unidos em 2007. Passei por vários obstáculos, mas deu certo. Hoje eu vivo a vida que escolhi pra mim. Se eu consegui, você também consegue. Quem sabe você pode mudar a sua também…

Eu recomendo o livro. Vai fazer você pensar duas vezes sobre as decisões que toma diariamente.

 Se você gostou deste artigo, deixe um comentário e compartilhe.
Siga o Ambiente Vistoriado no facebook twitter.
Inscreva-se para receber as atualizações por email. 

Deixe um comentário!

13 comentários

  1. Flávia

    Boa sugestão =D to precisando mudar o roteiro da minha vida rsrsrs
    Beijos ;*

    Responder
  2. Sarah Lee

    Ótima dica, ja q meu gosto literario não tem nada haver com shopaholics, vampirescas e romances adolescentes.
    Fiquei aqui pensando que mudaria boa parte do meu roteiro, mas as oportunidades q tive, simples que seja, eu consegui aproveitar, mas sim queria mudar muita coisa!
    Besos

    Responder
    1. Manu ♥

      Oi Sarah
      Obrigada pelo comentario. Eu acredito que a gente não deve mudar o que está bom, mas devemos sempre tentar aprimorar e buscar a felicidade em tudo que fazemos. =)

      Responder
  3. Carola

    Manu, vou te passar uma dica:
    Vc sempre escreve LÊ como se o verbo estivesse no infinitivo, mas o correto é LER.
    Não tenho certeza (faz um tempo q terminei a escola xD), mas LÊ é presente do indicativo, ou seja, verbo conjugado.

    Não tou querendo fazer chacota nem dar uma de chata, longe disso, por favor!
    Mas é que eu sempre reparei nisso e sei que vc está fora do Brasil já faz um tempo… só quis dar a dica.

    Um grande beijo!

    Responder
    1. Manu ♥

      Oi Carola,
      Obrigada pela dica de português rsrsrs. Realmente eu comento muitos errinhos na escrita, no dia-a-dia não uso meu português pra nada, até em casa a lingua oficial é o inglês e ai acabo cometendo esses erros. Mas eu adoro quando as pessoas me corrigem ou deixam uma crítica (construtiva), porque a gente tem que tentar melhorar todo dia. Eu já consertei a questão do lê e ler no post e caso você vê outro erro grave por aí, me avisa. beijos linda!

      Responder
  4. Leli Correia

    Nossa… fiquei toda arrepiada. E com vontade de ler também…

    Responder
  5. luciana

    manuzinha, é tão difícil pensar como seria se tivesse sido diferente (rs). pra mim, pensar nisso é um exercício muitas vezes doloroso. eu prefiro acreditar e me jogar na construção de novos caminhos, novas possibilidades… isso que pra mim é a arte de se redescobrir viva, intensamente viva. eu fiquei muito curiosa, buscarei esse livro. tenho acompanhado mais de perto o seu blog, apesar de ser “out” de moda e afins. é no seu “ambiente vistoriado” que as vezes me encontro perdida em pensamentos leves e felizes. beijos manu!

    Responder
  6. Mônica Talita Biffi

    Oi linda !!!!
    Olha, rotina não é comigo. Qdo eu era solteria e não tinha caro, eu fazia mais aventurascom minhas amigas…do tipo…da uma ideia, olha pra cara uma da outra e fala….vamo agora.
    Com mue marido eu ainda não faço isso, ele não é louco como eu, ele pensa demais, “raciocina muito” ….kkkk. Será que homens que estudam coisas voltadas a área da tecnologia são todos assim ?
    Bem, mas nem tudo está perdido…ele tem seu lado bom sim, senão não teria me casado com ele. (risos). Acredito que isso tbem vem um pouco da forma que criado pelos pais, por isso que que estou mostrando a ele aos poucos esse lado de “aventurar-se no desconhecido sem medo de ser feliz” Devagar eu chego lá. O importante é o amor.
    No inicio do ano eu estava apavorada com a idéia de me mudar de casa, cidade, estado, clima, cultura e amigos. Hoje eu posso dizer que estou me sentido FELIZ. Isso é uma conquista pra mim. Venho a mais de 01 ano, pesquisando sobre a cidade, a região, o que tem de bom, de ruim…como seria minha vida lá e eu sinto coisas boas, tipo..meu coração se alegra. E agora mais do que nunca eu quero experimentar esse novo caminho…regado de emoções, coisas inesperadas, amigos que irão surgir, muita uva, vinho e frio. Mudarei meu estilo de vestir, os programas, a rua será mais calma, a cidade mais produtiva….acho que vai ser bem legal…e tbem eu tenho esse pensamento comigo…..EU TENHO QUE FAZER A MINHA VIDA SER LEGAL LÁ, INDEPENDENTE DE ONDE EU ESTEJA, EU TENHO O DEVER DE SER FELIZ, TENHO QUE FAZER DE TUDO PRA SER FELIZ, PRA ME ALEGRAR. INVENTE COISAS NOVAS, AVENTURE NO NOVO…..
    Existem infinitas formas de vc fazer coisas que te deixam feliz….Experimente coisas novas.
    De tdo isso que falei a única coisa que nunca quero trocar, é a forma como eu acredito em Deus. Essa é inabalável. Já experimentei vários caminhos e hoje eu vivo num que me traz a plenitude da vida.

    Manu…gosto do jeito que vc lida com as coisas, vc aproveita cada detalhe das coisas. Isso é raro nas pessoas.

    Bjus, bom findi :)

    Responder
  7. Manu adoro tudo o que você escreve !!
    Lindo post, ótima reflexão !!

    Bjos querida, bom domingo !!

    Responder
  8. Cinthia Dorneles

    sempre podemos mudar, tendo um pouco de coragem e determinação.

    Responder
  9. Camila Faria

    O livro parece ser mesmo incrível Manu! E amei essa sua resolução para 2014. Também quero ler muito mais nesse próximo ano e vou me esforçar para isso!

    Responder
  10. MONICA BIFFI

    Manuuuuuuuu…..tudo conspirando a meu favor hehehe
    É que estou fazendo uma tarefa do coaching MELHOR VERSÃO…essa tarefa é punk. são 12 areas da vida que tenho que escrever, montar um algum com figuras. Qual seria a minha versão 10 para cada coisa..e eu estou nesse processo, escrevendo, pensando, procurando figuras e modelos pra cada área. Por isso te falei que vc seria um dos modelos pra mim…..ai ai..esse ano promete. Vou anotar o nome do livro..alias estou com a lista gigante, uma das metas pe ler, pq eu inicio empaco. Eu sou muito eletrica, eu nao consigo sossegar com o livro…por isso ate pensei na Yoga, mas faço musculação…faço so pq eu sei que tudo vai cair um dia auhauahauhauah, mas pergunta se eu vou pra academia felizaçaaa..que nada…ontem eu malhava e so pensav assim ” ai queria ta agora relaxando, escutandi musica classica e me alongando num lugar bem silencioso rsrsrs..eu acho que estou num momento de instrospecção e tbm meio stressada, precisando mais ficar comigo. Coisas do coaching ! Bjuuuu :)

    Responder
  11. Anonymous

    Oi Manu, hoje é um daqueles dias que questionamos tudo, sabe? Se tomamos a boa decisão, se estamos no caminho certo etc. Ler seu post me devolveu confiança. Muito obrigada. Beijos

    Responder