Sou Emanuella Maria (Manu), uma romântica inconsolável que adora coisas vintage e viajar. Há 7 anos moro na capital americana, Washington DC e neste espaço divido um pouco da vida no estrangeiro e o que me inspira no dia-a-dia. Falo das coisas que faço, do que gosto e o que me faz feliz.

Buscar no blog












19.01.2011

Sempre que leio um livro eu tenho uma caneta na mão para que eu possa destacar determinadas linhas ou passagens que são significativas para mim, eu também gosto de dobrar as orelhas, os cantos das páginas, para que eu possa voltar e encontrá-las. Com esso novo livro que eu estou lendo, eu poderia dobrar a orelha de cada página, pois ele é tão cheio de inspiração.

Selecionei algumas citações que marcaram-me nos primeiros dois capítulos – na qual a escritora Patti Smith (que também é a avó do Punk) descreve brevemente a sua infância e sua decisão de ir à Nova Iorque com apenas dinheiro suficiente para um bilhete de ida e alguns itens (caderno, lápis, um livro, algumas peças de roupa e fotos) na sua mala. Essa viagem que a levou ao encontro com Robert Mapplethorpe que só pode ser descrito como destino. Gosto de pensar que todo mundo pode ser uma Patti Smith da vida, cheia de sonhos e ideais e que mesmo com os medos e temores da vida, não deixa de arriscar. Buscar o desconhecido e quem sabe no final se encontrar, ou melhor virar uma pop star…Bem, o livro é ingles e tentei traduzir o mais próximo.

“O que é a alma? de que cor ela é? Eu suspeitava que minha alma, sendo tão travessa, poderia escapar, enquanto eu estava sonhando e nunca voltar. Eu fiz o meu melhor para não cair no sono, para mantê-la dentro de mim, onde pertencia. ”

“mas secretamente eu sabia que tinha sido transformada, movido pela revelação de que os seres humanos criam arte, que para ser um artista era ver o que outros não podiam.”

“um por um, eles observaram nos meus relatórios que eu sonhava demais, que eu estava sempre em outro lugar.”

“Nós não tínhamos dinheiro para ir a nenhum lugar, não tinhamos telefone, televisão ou rádio. Tínhamos apenas a nossa vitrola.  E fáziamos a mesma música tocar, tocar e tocar quando estávamos dormindo. ”

“Não se pode imaginar a felicidade mútua que sentimos quando sentávamos e sonhávamos juntos. A gente deixava-se perder por horas. Sua capacidade de se concentrar por longos períodos de tempo me contagiou e eu aprendi pelo seu exemplo, trabalhando lado a lado. ”

“Eu gostaria de poder projetar tudo no papel. Pelo tempo que eu estou no meio do caminho, eu já estou fazendo outra coisa. “

Trechos do livro Just Kids de Patti Smith.


Gostou? Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

8 Comentários














8 Comentários em “Fragmentos do livro Just kids”

Luiza
19/01/2011 ás 09:23

Olá! Adorei conhecer seu blog, já estou seguindo e adoraria se seguisse o meu também. Irei ser visitante diária de seu blog! Passa lá: http://blog-fashionstyle.blogspot.com
Bjs, Lú

[Reply]


Patricia de Lucca
19/01/2011 ás 11:32

Oi Manu, adoro o seu blog, acho tão inspirativo. Tem dia que estou assim meio deprê e quando entro aqui parece que tem algo escrito para mim. Muito bacana esse livro, pena que eu não leio em inglês mas adorei os textos que você traduziu.
beijos

[Reply]


Vanessa
19/01/2011 ás 11:35

Oi, conheci seu blog por intermédio de uma amiga, eu estou viajando para os Estados Unidos e ela me falou que você mora aí e que dá dicas para quem quer morar forar. Adorei tudo que encontrei por aqui e vou te mandar um email com umas dúvidas.

[Reply]



19/01/2011 ás 12:00

Engraçado que eu também marco livros, e tem pessoas que olham torto pra mim. hahaha. Acho que o livro não é só um objeto de contemplação, ele pode ser também objeto de interatividade. Marcar o livro, pra mim, é uma forma de me relacionar com ele.

Adorei todas as citações. O livro da Patti Smith foi traduzido pro português e estou pensando em ler :) Fiquei com mais vontade agora.

Beijos, Manu.

[Reply]


Maraysa Carvalho
19/01/2011 ás 13:02

Manu, eu gosto muito da Patti, tem um filme chamado Um Refúgio no Passado (In my father’s Den) que foi através dele que conheci o trabalho da avó do Punk. As músicas dela estão na trilha desse filme, são perfeitas! Ah, queria te perguntar uma coisa (por favor, me responda): onde que vc encontra imagens tão lindas para compor suas postagens?
Bjos!

[Reply]


Manu ♥
19/01/2011 ás 13:14

Obrigada pelos comentários meninas! Fico super feliz que vocês curtem o blog.

Oi Fê eu não sabia que tinha a tradução desse livro pro Brasil. Super recomendo!!

Maraysa eu pego as imagens nesse site aqui http://weheartit.com/

[Reply]


Cátia Susane
20/01/2011 ás 18:11

Manu, amei o q vc traduziu! Pena q nao tem esse livro em Português, iria amá-lo ter em minha estante de livros! beijos!

[Reply]


Jayne Andrade
07/02/2011 ás 11:45

Faz cerca de um mês que li esse livro. E de longe se tornou o livro mais importante que eu li até hoje.
Me fez repensar muitas coisas, além de de me incentivar a correr atrás dos meus sonhos. Além disso Robert é cativante a Patti sempre foi uma de minhas divas.

[Reply]