Como foi mudar de país e deixar tudo para trás?

Essa semana postei um questionário do blog pra conhecer minhas leitoras e também poder direcionar melhor os posts do Ambiente Vistoriado. Pra minha surpresa, em menos de 5 dias, mais de 200 pessoas responderam o questionário e cada vez que leio as respostas, um sorriso enorme se abre. É muita gentileza minha gente.

Bem, no meio de tantas perguntas, deixei um espaço pra que você possa me fazer uma pergunta sobre qualquer coisa que tenha curiosidade. Pra algumas pessoas respondi por email e pra outras vou responder em um post, pois acredito outras pessoas tem a mesma dúvida ou curiosidade.  A partir de hoje, vou postar toda segunda-feira, no Manu Responde.

Quando mudei para os Estados Unidos não foi fácil, principalmente porque minha família não me apoiou completamente. Eu tinha uma situação estável no Brasil, um emprego que pagava bem, já morava sozinha e isso me dava um status de independência. Mas mesmo assim, eu não estava feliz e queria uma mudança na minha vida. Então pedi demissão no trabalho, apliquei para um visto de estudante e mudei pra cá com com a cara e a coragem sem saber direito o que estava fazendo.

Quando mudei para os Washington DC também não foi fácil, meu inglês não era muito bom, eu tinha vergonha de falar e com isso me limitava para fazer novas amizades. Além disso eu sentia uma saudade enorme dos meus amigos e da minha família no Brasil e muitas vezes me sentia sozinha. Fora que a grana era curta, pois tinha que pagar escola, aluguel, comida, e o dinheiro que tinha juntando no Brasil era limitado. Mas dentro de mim, mesmo com todos esses ajustes, eu sabia que estava fazendo a coisa certa.

Então resolvi me dedicar ao inglês, estudava 5 horas por dia numa escola intensiva e me forcei a falar mais com estranhos e perder a timidez. Além disso, ouvia rádio e assistia filmes em inglês legendados em inglês.

Eu já fiz um vídeo falando dos altos e baixos de morar nos Estados Unidos. Inclusive o vídeo já passou de mais de 70 mil visitas. Quem não assistiu e tem curiosidade é só clicar AQUI. Mas como comentei no vídeo

VIVER NUM PAÍS ESTRANGEIRO NÃO É FÁCIL, VOCÊ VAI SEMPRE SE SENTIR “DIFERENTE”, MAS CABE APENAS A VOCÊ QUEBRAR ESSAS BARREIRAS E BUSCAR USUFRUIR O MÁXIMO QUE ESSA EXPERIÊNCIA PODE LHE OFERECER

Hoje em dia, tudo se encaixou. Já moro em Washington DC há 7 anos. Consegui não só terminar meu cursinho de inglês, mas depois fiz meu mestrado em Relações Internacionais em uma das melhores universidades Americana e recentemente, comecei uma especialização na área de coaching. Trabalho com Comunicação e jornalismo para uma Organização Internacional, e uso inglês todos os dias no meu trabalho e na minha vida pessoal. Além disso, aprendi Espanhol e já vou começar a estudar Francês. Os amigos vinheram com o tempo, a família, eu converso toda semana pelo Skype e quando posso vou visitá-los no Brasil.

A vida é como abrir uma porta que você não sabe o que há atrás dela. E mudar de país pra mim, foi assim. Você nunca pode saber onde você vai acabar. Você não sabe o efeito que essa mudança terá sobre sua vida. Mas essa é a coisa fantástica e assustadora sobre a vida – não há garantias.

Gostou? >> Leia o Manu Responde #1 – Eu não sei o que fazer da minha vida.

divisor

Tem uma pergunta ou dúvida? Entra em contato

Deixe um comentário!

7 comentários

  1. Serginho Leal

    Sempre tive muita vontade de me mudar para os Estados Unidos ou Canadá, esses países são muito próximo do que eu quero pra minha vida, segurança, bom salário e outros benefícios, mas infelizmente tive que abrir mão desse sonho. Mas apoio completamente quem quer ter essa experiência. Gosto muito do seu vídeo falando sobre os altos e baixos, tem dicas preciosas pra quem pretende ir para outro país. Estou esperando pelo próximo "Manu responde" 😀

    Responder
  2. Ambiente Vistoriado

    Olá Serginho, obrigada pelo comentário. Acho que tudo na vida da gente vem com o tempo certo e que existem dois tipos de Não. Não é o momento certo ou não ia te fazer feliz. Mas a gente só percebe isso lá na frente. 🙂

    Responder
  3. Cami Camargo

    parabéns por sua luta confiança nesse recomeço do seu curso estou ansiosa para que leia o que respondi no questionário adoro seu blog me sinto próxima de ti bjs camille Paes Camargo

    Responder
  4. Raniele Duarte

    Perfeito o texto, parabéns!

    Responder
  5. Giselly Andrade

    Rani, que texto massa! Dá coragem!! <3

    Responder
  6. Raniele Duarte

    Muito bom néGiselly Andrade ? Quem me repassou foi Ana Lira =)

    Responder
  7. Giselly Andrade

    Olha, Renata Nascimento 😀 Vamos nos jogar nessa vibe?

    Responder