Como dar pequenos passos para fazer as coisas que te assustam

Your time is limited, so don't waste it (3)“Não faz mal que seja pouco. O que importa é que o avanço de hoje, seja maior do que o de ontem. Que nossos passos de amanha, sejam mais largos do que os de hoje”. – Daisaku Ikeda

Há alguns anos eu enfrentei um dos meus maiores medos quando resolvi mudar de país pra começar uma vida nova. Foi uma decisão muito difícil, que mudou completamente minha vida. Estava deixando para trás um trabalho bem remunerado na área de comunicação e uma estabilidade emocional (meus amigos e família). Naquela época só conhecia uma pessoa em Washington DC e ela era amiga de um amigo. Meu inglês era bom, mas não era perfeito. Além disso, era o meio do inverno rigoroso nos Estados Unidos. Ou seja, eu tinha vários motivos para não ir, mas eu tinha um motivo maior que me fez ter coragem e tentar: Eu queria mudar.

Eu estava determinada a mudar e abrir uma nova porta na minha vida, mas vou conta, eu tive muito medo. Porém não deixei que o medo fosse maior do que meus sonhos. Tentei ser mais forte para combater esse medo, pois quando o medo nos paralisa, não conseguimos ir para frente.

Se você dá muita atenção às coisas que poderiam dar errada e ao seu medo, você limita suas possibilidades antes de começar qualquer coisa. Isso não quer dizer que você não deve planejar para evitar possíveis problemas. É só que, se você funcionar em um estado de constante ansiedade, ela acabará por prejudicá-la.

Seja o que for que você quer fazer, não precisa ser um objetivo enorme, esmagador. Em vez disso, pense nisso como uma série de passos, alguns mais simples do que os outros, e se comprometa a completar alguns passos todos os dias.

Absorve-se completamente em cada fase do processo, dando a elas sua total atenção, como se nada mais fosse importasse, mas o que você está fazendo agora é a meta momentânea. Foi assim pra mim, na minha nova vida. Cada dia era um novo passo.

Não importa se você está em um caminho difícil. Não importa se as probabilidades estão contra você. Não importa se você não está fazendo progresso tão rapidamente quanto alguém o faria. Tudo o que importa é que você dê um passo, e continue a seguir mesmo se você não sabe onde esses passos estão te levando.

No final do meu primeiro ano aqui em DC, passei meu natal sozinha, de frente para o computador falando no Skype com minha mãe. Depois que desliguei, saí pra caminhar e toda cidade estava em silêncio. DC se torna em uma cidade fantasma nos feriados e época do final do ano. E enquanto caminhava sozinha na rua, a neve começou a descer e comecei a chorar e me perguntar se aquilo era realmente a coisa certa. Mas apesar do medo, não desisti.

Saltando em algo novo pode ser aterrorizante. Você nunca sabe com certeza onde você está indo parar até chegar lá, e é difícil silenciar seus medos.

Não há problema em sentir medo. Só que ele não pode te controlar se você optar por se concentrar onde você está, e colocar seu coração na próxima etapa deste momento.

Por anos eu disse a mim mesma que eu não era quem eu queria ser, porque eu sentia tanto medo. Eu já percebi que não é o meu medo de cair que me define. É o fato de que eu estou disposta a fazer a subida, apesar de todos os sentimentos que ela traz.

Pense agora qual é o pequeno passo que você pode dar hoje para aquela coisa que você tanto quer mas que te assusta?

divisor

Viver essa jornada me mostrou a minha missão e hoje eu sei que meu plano maior é estar aqui para ajudar você a dar os seus passos. Eu espero que esse texto seja uma sementinha na vida de alguém. E se você gostou, compartilhe o amor e divida essa mensagem com outras pessoas

Deixe um comentário!

22 comentários

  1. Layse

    Adorei seu texto. Parabéns!

    Responder
    1. Emanuella Maria

      Oh Layse, fico muito feliz que gostou!

      Responder
  2. márcia

    Obrigada Manu. essas palavras vieram na hora certa! :* beijo grande e sucesso!

    Responder
    1. Emanuella Maria

      Que bom Márcia!! 🙂 Sucesso na sua jornada.

      Responder
  3. karine lascaux

    sempre pensei muito como boa libriana que sou, nunca decide nada as vezes por medo, medo de errar…nunca sair da zona de conforto ate… ter meus filhos e ver que mereço muito mais…e não sei por que depois dos filhos. só sei que quero e estou construindo dia a dia… …cada dia que vivi servirá para construir meu futuro e minhas decisões que já foram tomadas. ser feliz! obrigado manu por você estar aqui!! fez eu ver estou no caminho certa! bjo

    Responder
    1. Emanuella Maria

      Olá Karine, eu sou geminiana e sei muito bem como é dificil tomar decisões. Mas muitas vezes temos que ter mais coragem que o medo. O medo é um sentimento que sempre vai está presente, mas se a coragem for maior que ele todas as outras coisas vão dar certo.
      Obrigada pela mensagem. Fico feliz que meu texto tocou seu coração.

      Um abraço

      Responder
  4. Michelle Castro

    Texto lindo, inspirador como você sempre faz! Me emocionei,.. pois estou passando por esse processo, na confiança de que com pequenos passos diários alcançarei meu objetivo! Muito obrigada! Vc é como uma amiga, que sempre chega com as palavras certas, no momento certo… Bjos!

    Responder
  5. Michelle

    Texto lindo, inspirador como você sempre faz! Me emocionei,.. pois estou passando por esse processo, na confiança de que com pequenos passos diários alcançarei meu objetivo! Muito obrigada! Vc é como uma amiga, que sempre chega com as palavras certas, no momento certo… Bjos!

    Responder
  6. Davi Abreu

    Muito bom Manu!
    Minha filha e o marido estão indo para o Canadá de muda dia 15 de novembro.

    Responder
  7. Emanuella Maria

    Oi Davi que bom veu o seu comentário aqui no Blog. Fico feliz por ela, se dando uma chance de tentar algo novo. 🙂 Um abraço

    Responder
  8. Iara Lunes

    Muito bOm ler essas linda, muito bOm mesmo!!!

    Responder
  9. Lua

    Me lembrou aquele ditado: “De grão em grão a galinha enche o papo”

    Responder
  10. Bárbara Rossi

    Que lindo Manu!! Bela mensagem!! Mostra que quando agente quer nem sempre é fácil, mas pode ser possível! bjo!

    Responder
  11. OOOiii Manu!! Sou a Karla de Fortaleza que te manda e-mail =D
    Adorei seu texto, muitas vezes o medo nos faz desistir até de tentar, as vezes não queremos sair da zona de conforto também, mas o fato é o tempo passa, a vida acontece e se a gente não realizar os sonhos o futuro nos reserva tristeza e frustração… obrigada por nos ajuda a seguir!!

    Responder
  12. Jaqueline

    Olá Manu. Eu sou sua leitora a um tempinho já, seus textos são excelentes e tem me ajudado bastante. Mas após ler diversos textos percebi que o ponto de partida é este aqui. Eu tenho 16 anos, e tudo que eu mais queria era ter coragem de ser eu mesma. Eu compreendo que jovens são bem problemáticos nessa idade, mas creio que todos temos o direito de construir a auto estima. Digo que esse texto é ponto de partida, pois aceitar-se sem medo de rejeição exige grande esforço, enfrentar o medo da solidão não é fácil. Mas tem sido bem difícil pra mim…

    Responder
  13. Com quantos anos você foi para o Estados Unidos?

    Responder
    1. Emanuella Maria

      Eu mudei pra ca em janeiro de 2007. Tecnicamente eu tinha 26 anos, mas em junho de 2007 fiz 27 =)

      Responder
  14. carla valéria

    Adorei sua coragem, me surpreendi com ela, eu ainda tenho medos do desconhecido, você nessa parte foi fenomenal .

    Responder
  15. Amanda

    Adorei as dicas!

    Beijos!

    Responder
  16. Thiago

    Olá, acabo de ler o seu texto e é a mais pura verdade. Não temos que deixar o medo tomar conta da sua decisão mas ela tem que ser sensata e bem trabalhada. Tem uma pequena semente (vontade e sonho) dentro de mim que em meu último relacionamento fez florescer ainda mais. E acredito que um dia eu vou conseguir realizá-lo, superando o meu medo, a minha ansiedade e os cheios de “se” nos meus pensamentos.

    Seus textos são bastante motivadores, faz a gente se conhecer melhor, ir em busca dos sonhos, dos planos que você almeja e é isso que eu preciso me conhecer melhor. Muito obrigado por compartilhar sua experiências e textos.

    Responder