filmes, músicas & afins

Sobre Decoração

por

Eu comprei um livro de decoração.“Undecorate: The No-Rules Approach to Interior Design”, e estou adorando. Pouca gente sabe que tenho essa queda por decoração. Acho que não saberia decorar a casa de outra pessoa, porque considero isso algo muito pessoal, mas respeito demais o trabalho de arquitetos e decoradores. Meu ap foi decorado por mim mesma, porque não abro mão de fazer as coisas do meu jeito, mas esses profissionais dão toques originais e ajudam a gente a dar cara nova ao básico. Quando estou de bobeira em casa eu gosto de visitar sites de decor e no meu computador tem uma pasta pra salvar as fotos que me inspiram. Pra quem gosta de decor, também tem uma aplicação otima pro iPhone ou iPad chamada Houzz, tô viciada nessa app.

Música para fazer feliz

por

Resolvi dividir com vocês o meu segredo da felicidade… Música! Ahhh gente, tem coisa melhor do que música para levantar o astral??? Quando estou super deprê, sempre escolho as músicas mais alegrinhas pra tocar, e sempre ajuda muito. Vou dividir com vocês algumas músicas que tocam direto no meu ipod e sempre que eu escuto me faz abrir um sorriso enorme e quero sair dançando na rua.

Duffy – mercy

O que as mulheres francesas sabem

por

Em umas das minha viagens, eu passei cinco dias em Paris e fiquei hospedada na casa de uns amigos. Ele, um professor universitário, super intelectual-descolado e bem viajado. Ela, super branca-pálida, magérrima, tre`s chic, fumante e culta, o perfeito estereótipo da mulher francesa. Eles cozinharam para mim, saímos juntos, sentavámos nos cafés, conversavamos sobre ameninadades por horas, foi uma ótima viagem, mas a mulher me fascinava. Eu adorava obsevá-la, com sua taça de vinho, sempre bem vestida, com o cigarro do lado e o scarf esvoaçante.

E sobre o carnaval?

por

Eu já tive meu tempo de foliã, a época do mela-mela lá no Aracati, do baile a fantasia do colégio, ou mesmo o frevo até de madrugada pelas ruas de Olinda. Mas nos últimos anos, antes de mudar definitivamente de país, eu já tinha passado para o festival de jazz em Guaramiranga e passava essa semana de férias ouvindo boa música e curtindo o friozinho da serra, era meio que um retiro. Hoje em dia essa data não me apetece mais e ás vezes até esqueço que é carnaval, e só lembro quando abro o jornal e vejo alguma foto de mulher pelada, semi-pelada ou alguma coisa rápida na TV. E que nem o Arnaldo Jabor disse, “aqui para os americanos somos um povo esquisito, tudo nu, pulando como malucos, para espanto risonho do mundo “civilizado”.

Mas enfim eu não sou a favor e nem contra, carnaval é mesmo uma grande festa e há diversão para todo gosto e bolso. Mas  parar o país inteiro uma semana para viver uma utopia as vezes é um pouco demais e também eu acho que essa festa perdeu muito a essência. Principalmente porque em muitas partes o carnaval deixou de ser dos foliões, para ser um espetáculo para os outros; o carnaval deixou de ser vivido para ser olhado.