wal mart viagra price

Sou Emanuella Maria (Manu), uma romântica inconsolável que adora coisas vintage e viajar. Há 7 anos moro na capital americana, Washington DC e neste espaço divido um pouco da vida no estrangeiro e o que me inspira no dia-a-dia. Falo das coisas que faço, do que gosto e o que me faz feliz.

Buscar no blog











Arquivo da seção: filmes, músicas & afins

20.12.2013

Um de meus mentores favoritos ficou conhecido por por citar o mantra “os líderes são leitores” com paixão e frequência. E uma das minhas resoluções para 2014 foi ler mais. No outro dia teve um queima numa livraria aqui perto de casa, e comprei vários livros: incluíndo um curso de photoshop, um manual pra usar minha camera (já tenho ha um ano mas não sei fazer nada), dois livros de culinária , um dicionário de espanhol, um livro com fotos de gatinhos (só porque estava barato) e o livro Um milhão de quilômetros em mil anos do Donald Miller. Eu terminei de ler o livro ontem e pensei em compartilhar com vocês um pouco sobre ele, caso vocês estejam procurando algo novo para se perder numa tarde de domingo.

Para começar, eu não conhecia o trabalho de Donald Miller, mas eu adorei o estilo da escrita dele. Ele é honesto, às vezes surpreendente, escreve em tom de conversa e quando eu estava lendo seu livro, fiquei imaginando o jeito que o Donald fala. Foi meio como ter uma conversa gostosa com um amigo que não se vê há muito tempo em uma cafeteria, com uma bossa nova de fundo e o moedor de café fazendo barulho no segundo plano. Fiquei inebriada pelas palavras dele.

O livro é uma crônica de um momento na vida dele, onde ele se questionou e ao mesmo tempo respondeu a pergunta: O que você faria se pudesse mudar o roteiro de sua vida? Ele comenta como ele passa pelo processo de re-escrever suas memórias para torná-las mais interessante para o grande ecrã, ele também embarca em uma jornada interessante de auto-descoberta e investigação. Um milhão de quilômetros em mil anos é a crônica dessa oportunidade singular de reinventar a própria jornada, e é legal ler para se inspirar.

Encontrei-me pensando nessa frase: “Isso é como eu me senti há anos, mas nunca poderia realmente colocar em palavras”. Reconheci também muito de mim nele. Donald e eu somos muito parecidos em nossas opiniões e na nossa vida, e depois de ler o livro eu me sinto inspirada para olhar para a história da minha vida que eu estou contando para ter certeza que estou escrevendo um conto que vale a pena contar. Eu sou muito a favor de tomar riscos na nossa vida. É tão fácil viver na mesmice e ter um dia igual a outro, comer todo sábado naquele restaurante que você vai há anos e até os garçons lhe chamam pelo nome, ou fazer aquele programa sagrado de domingo de cinema/praia/filme em casa, ou namorar aquele cara só porque não quer ficar sozinha, ou ficar naquele trabalho chato só porque ainda não apareceu coisa melhor. Mas e se fosse diferente? E se de repente você acordasse de um sonho, ou melhor, vivesse um sonho e tudo fosse diferente? Que tal parar por cinco minutos e pensar, o que seria diferente? O que te faria sorrir agora? O que te faria feliz? E porquê esse sonho não pode virar realidade?

Bem, eu mudei o roteiro da minha vida, eu larguei tudo e vim para os Estados Unidos em 2007. Passei por vários obstáculos, mas deu certo. Hoje eu vivo a vida que escolhi pra mim. Se eu consegui, você também consegue. Quem sabe você pode mudar a sua também…

Eu recomendo o livro. Vai fazer você pensar duas vezes sobre as decisões que toma diariamente.

 Se você gostou deste artigo, deixe um comentário e compartilhe.
Siga o Ambiente Vistoriado no facebook twitter.
Inscreva-se para receber as atualizações por email. 


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

13 Comentários




 
Veja também:








 

21.10.2013

musica+lembracas

Você já teve um momento em que ouviu uma música e imediatamente foi transportado para uma experiência do passado? O tempo, o lugar, as caras, as paisagens, o cheiro, o sentimento…

A música tem o pode incrível de nos levar de volta; nos permite vasculhar aquela lembrança profunda que você já não lembra há muito tempo. Eu sempre achei que isso é uma coisa tão mágica, tão especial, e eu estou sempre curiosa pra descobrir músicas, bandas e experiências que estão ligadas na mente dos outros…

Para mim a música do Raul Seixas está conectada ao meu passado. Sempre que escuto Raul Seixas me lembro do meu pai, da minha infância. Quando era pequena ele tinha a coleção completa de vinil e nos finais de semana ele gostava de fazer churrasco e sempre colocava as músicas do Raul pra tocar de fundo. A preferida dele era medo da chuva. Na época eu não entendia muito a letra, mas achava triste e nostalgica.

Mas eu tenho tantas outras memórias relacionadas a música. Era o The Cure, que eu sempre ouvia quando eu me arrumava pra ir pras baladas, Roxette que me lembra meu primeiro namorado, Bob Marley que me leva a época do segundo ano, quando eu era surfete . Hummm são tantas lembranças.

Então eu perguntei pra outras pessoas que música/grupo/cantor os levava de volta ao passado e ouvi as seguintes respostas:

mixtape_para_recordar

Mirella, Estudante de nutrição
Spice girls, por que me lembra a minha infância. Eu costumava me reunir com as minha amigas pra imitar o grupo depois da aula.

Germana, Chefe de cozinha
Eu acho que Metallica é uma das bandas mais nostálgicas pra mim. Quando eu era pequena, meu irmão mais velho adorava a banda. Eu lembro que uma época ele pintou as paredes do quarto de preto e todos seus amigos tinham cabelos longos. As vezes eu ficava atrás da porta ouvindo as músicas. Até hoje quando escuto Metallica volto no tempo e sinto aquela nostalgia.

musica_para_ouvir

Luciana, Ambientalista
O The Doors me faz lembrar minha adolescência. Eu era tão feliz. A gente saia com 5 reais no bolso e ia pra porta dos bares. Bebia caipirinha nas barraquinhas e ficava do lado de fora escutando a música das bandas. Depois todo mundo ia dançar num bar chamado Domínio Público. Esse foi um tempo de liberdade da minha geração em Fortaleza que eu sinto saudades.

Nelson, Músico de Jazz
Pra mim é o Bill Frisell. Eu nunca tinha ouvido falar dele antes,até que vi o show dele ao vivo em Las Vegas. Sempre que escuto a música dele, me transporta de volta pra aquele verão. Eu não conhecia ninguém na cidade quando cheguei lá e não conhecia ninguém quando saí de lá. Eu tive um monte de tempo para mim mesmo, e tive tempo para pensar e entender as coisas, foi um grande momento da minha vida. As palavras da música dele significou muito pra mim e ouvir novamente tem tudo haver com o que eu fiz naquele verão.

musica_pra_ouvir_e_tras_lembranças

E par você, qual a música/grupo/cantor te transporta para outro tempo ou lugar?

Google+


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

2 Comentários

Categorias: filmes, músicas & afins | Tags:



 
Veja também:








 

11.09.2013

emily_wells

Tem umas coisas que a gente não consegue explicar e uma delas é como certas músicas conseguem tocar nossa alma. E foi assim que me senti (e ainda sinto) quando escutei a música da Emily Wells pela primeira vez.

Eu estava assim meio despercebida olhando meus e-mails e meu namorado me mandou um link da cantora do youtube e comentou que eu iria gostar. Cliquei sem muita pretensão e foi como uma explosão nos meus ouvidos. Um lance meio que transe. Depois fui buscar mais e mais, cada música com uma melodia incrível, com letras maravilhosas, que mais parece uma poesia e uma sensibilidade incrível. Ouvi o cd dela, 2, 4, 6, 10X e cada vez quero ouvir mais e mais. Claro que tem aquelas músicas lindas que quero ouvir de novo e de novo, que me da vontade de chorar, de rir, de cantar, de me apaixonar…

EmilyWells_TheEcho_20130613_Ethan Shvartzman_13

PERFIL

A Emily Wells é uma garota do Texas, mas hoje mora em Los Angeles. Ela começou a tocar violino aos 4 anos de idade e começou a lançar discos por conta própria. Ela também usa outros instrumentos na sua música, incluindo sinos, sintetizadores analógicos, pianos e até mesmo outros instrumentos de brinquedo.

Espero que gostem.


Mais??

+ Facebook
+ Web Page
+ Soundcloud
+ Amazon


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

5 Comentários

Categorias: filmes, músicas & afins | Tags:



 
Veja também:








 

10.07.2012

A musica é uma grande paixão da minha vida. Sempre reservo um tempo pra vasculhar novidades na internet e pra assistir os shows das minhas bandas favoritas. Quando eu era adolescente, minha mãe não conseguia entender como eu estudava com a musica tocando no volume alto. Mas a verdade é que os anos passaram e o habito continua, só consigo me concentrar (estudar, ler, trabalhar) ouvindo uma boa baladinha de fundo.  E recentemente a musica que tenho mais ouvido é o reggaezinho pop “keep You” da banda Wild Belle.

Wild Belle é uma dupla nova do Brooklyn (NY) e anda fazendo muito sucesso por ai.  Eles ainda estão no inicio, e já lançaram um cd maravilhoso, fizeram um show na festa da Mulberry, saíram em matérias na revista Vogue e Rolling Stones. Eu já estou ligada no Facebook deles esperando as próximas canções e um showzinho aqui em DC.

Pra ouvir o cd completo >> Link AQUI

 


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

6 Comentários




 
Veja também:








 

07.02.2012

Eu adoro ler e sinto um prazer imenso em entrar numa livraria ou biblioteca. Passo horas e horas folheando as páginas, olhando as capas, me inebriando com o cheiro do papel, pensando qual livro vou levar pra casa. Sempre foi assim, desde nova. Já tive um ponto de preferir a companhia dos livros do que de certas pessoas e gosto de incentivar todo mundo a ler.

Os livros são como compartilhar segredos com outras pessoas. Se você não ler, você está se negando a alegria de conhecer novos pensamentos, novos mundos e novas experiências – tudo a partir do conforto de sua própria cama, do sofá, ou do assento do ônibus.

As pessoas muitas vezes sentem-se sobrecarregados com a tarefa de leitura – inclusive eu, principalmente quando tem que ler coisas chatas pra universidade e muitos se desanimam. Mas você pode encontrar escritores que ama, dessa forma a leitura torna-se um prazer.

O que você deve lembrar é que os livros estão aí para serem desfrutados, não para insultar-nos, e há uma abundância deles lá fora, que seria insensato limitar-se a apenas um. 

 Comece um novo relacionamento com os livros.

Vá a uma biblioteca muito boa, ou uma dessas livrarias gigantes, que tem de tudo um pouco; pegue uma pilha de livros interessantes  e tente ter uma idéia de cada um na sua totalidade.

Se apaixone pelo título, percorra as páginas, parágrafos e capítulos com os olhos, leia a página de sinopse e se puder leia um pouco do conteúdo, da introdução - este é um livro para você? Não? Deixe ele de lado e vá para o próximo. Se gostou, não pense duas vezes e já engatinhe a leitura.

Agora se você já começou um livro e ele está guardado há semanas na gaveta, dê uma segunda chance, tente terminá-lo antes de passar para o próximo.  Não esqueça de registrar os pensamentos principais, sublinhar se for preciso, e reflita no que vai fazer com essas lições. Os livros não só nos ensina sobre o resto do mundo, eles nos ensinam sobre nós mesmos.

E então, qual livro você está lendo?

Deixe um comentário com seus livros preferidos e sugestões para os próximos livros. <3


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

15 Comentários




 
Veja também: