wal mart viagra price

Sou Emanuella Maria (Manu), uma romântica inconsolável que adora coisas vintage e viajar. Há 7 anos moro na capital americana, Washington DC e neste espaço divido um pouco da vida no estrangeiro e o que me inspira no dia-a-dia. Falo das coisas que faço, do que gosto e o que me faz feliz.

Buscar no blog











Arquivo da seção: cabelo

20.06.2014

o dilema dos cabelos cacheados no brasilEsse post é mais um desabafo pessoal e tem haver com aceitação, formas de perceber a beleza e o preconceito que criamos em torno de cabelos.

Conversando recentemente com uma amiga, entramos numa discussão sobre preconceito com cabelos e auto aceitação e isso me fez lembrar um episodio significativo na minha vida.

Quando ainda morava no Brasil, trabalhei numa grande empresa do setor privado. Era uma companhia sólida e reconhecida, com um excelente plano de carreira. Além disso, foi um dos trabalhos mais bem pagos que tive no Brasil. Mas como nem tudo é um mar de rosas, eu tive uma chefe que pegava no meu pé e foi um dos motivos que me fez pedir para sair da empresa.  A empresa tinha um dress code, Business Professional e mesmo morando no calor do Ceará. Todos os homens tinham que usar terno e gravata e as mulheres também tinham que estarem impecáveis de terninho. Até ai tudo bem pois era regra da empresa, mas chegou a um ponto em que minha chefe começou a encucar com meu cabelo. Diferente das colegas de trabalho que tinham o cabelo liso, meu cabelo era natural encaracolado tipo 3B e isso não tem como disfarçar. Mas teve uma certa vez minha chefe disse que meu cabelo era uma distração e parecia desarrumado com o volume e sugeriu que eu fizesse chapinha pois ia ficar mais “arrumado”.

Cabelo natural é muitas vezes visto como pouco profissional e despenteado que é obviamente ridículo, porque as pessoas não podem mudar a forma que os cabelos crescem e suas raízes de origem.

Hoje quando paro pra pensar, chego mais e mais à conclusão que as desigualdades existem por causa da maneira como classificamos e hierarquizamos as pessoas na sociedade. Claro que a atitude da minha chefe estava errada. Mas eu não a julgo, pois na minha experiência, o cabelo crespo e enrolado é muitas vezes mal visto até mesmo por membros da nossa própria família. E por causa disso, muitas vezes ainda cedo os cabelos das crianças são tratados com químicas e penteados pra disfarçar o volume e a textura natural do cabelo. As crianças crescem sem nenhuma ideia do que fazer com seu próprio cabelo, pois infelizmente, elas não recebem muita ajuda dos recursos externos.

Viver em uma sociedade em que o cabelo liso é normal afeta a confiança das crianças e como as mulheres cacheados são vistas em geral. Quando uma adolescente encaracolada abre uma revista, quase todos os modelos em anúncios e artigos têm cabelos lisos. Ligue a televisão e você está quase garantida de encontrar meia dúzia de atores com cabelos lisos e vez ou outra perdida tem uma encaracolada fazendo principal. E já rola aquele bafafá, que não deveria existir, pois somos brasileiros e é só sair na rua pra ver quantos cabelos cacheados e crespos tem por aí. Essas revistas (e outros meios de comunicação) são destrutivas tanto para o cabelo como para a autoconfiança de um adolescente com cabelo encaracolado.

O pior é que maioria das mulheres poderosas com cabelos crespos ainda optam por escondê-lo. Na verdade, dentro da lista de senadores servindo atualmente – nenhum das mulheres tem o cabelo crespo ou encaracolado! Quando as crianças não veem as pessoas que se parecem com eles na mídia ou em posições de poder, isso afeta a sua confiança e as fazem sentir menos capazes.

Saí da empresa porque não me sentia aceita e estava cansada de viver por trás de regras absurdas e porque dinheiro nenhum podia pagar a minha essência. Eu podia ter levado a discussão mais adiante e processado a empresa, mas preferi não aumentar a bola de neve, ficar com minha confiança e dizer umas poucas e boas pra essa chefe ridícula que eu tinha. Claro que não baixei o barraco, mas eu falei o que pensava.

FRASE DALAI LAMA

O fato que permanece é que o privilégio do cabelo liso existe sim e a única maneira de combater isso é criar uma campanha de auto aceitação para que nós tenhamos uma discussão verdadeiramente aberta sobre isso. Temos que refinarmos o nosso olhar e abrir a mente para enxergar diferentes belezas nos diversos tipos de cabelo que encontramos por aí. Cabelo cacheado e crespo é lindo. Diz muito mais das nossas origens e da nossa identidade.

Hoje moro fora do Brasil, tenho orgulho do meu cabelo e confesso que sou varias vezes paradas na rua por pessoas que acham meu cabelo lindo, perguntando dicas, quais os produtos que uso, como faço para cuidar. Tenho um namorado que incentiva o  volume no cabelo e uma carreira que me permite usar meus cabelos enrolados do jeito que eu quiser. E hoje posso dizer com toda a minha experiência o quanto é ridículo aliar o modo com que uso meus cabelos com a minha competência profissional. Mas quantas pessoas não tem essa oportunidade? Quantos chefes usam o cabelo como uma desculpa para “branquiar” seus funcionários? Hoje dia sabemos que não é mais permitido selecionar funcionários pela aparência, mas o que isso quer dizer no final? Será que estamos atentos a malícia escondida por um simples conceito de beleza?

Mas infelizmente este problema do cabelo é muito maior do que alguns chefes racistas. Pois isso diz muito mais do Brasil, da nossa sociedade e de como somos influenciados.

E vocês o que pensam sobre esse assunto?


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

10 Comentários

Categorias: cabelo | Tags:



 
Veja também:








 

23.03.2014

Cabelo cacheado Quando somos adolescentes ou chegamos aos vinte anos são os seus melhores anos para experimentar e brincar com o nosso estilo pessoal. Nós estamos nos descobrindo, sendo influenciados por outras pessoas, por estilos, pela música, pela novela, o que pode significar que suas roupas, sua maquiagem e até seu penteado pode mudar do dia pra noite. Eu particularmente, já passei por diferentes mudanças de estilo pessoal, mas acho o que se destaca mais foi quando eu aceitei o meu cabelo natural.

Quando eu era pequena tive corte Joãozinho e parecia um menino e depois meu cabelo cresceu e com ele vinheram os alisamentos, os relaxamentos  e foi assim até meus 24 anos. Sempre usei química no cabelo pra ajudar a “baixar o volume”, “diminuir a juba”, “pra ficar menos rebelde”.  Até que um dia, uma amiga de fora, me perguntou porque eu não deixava meus cabelos naturais: “Tenho certeza que por trás do seu alisamento tem cachinhos muito bonitos”. E pensei nisso, mas eu não conseguia me imaginar com cachinhos, até porque sempre tive cabelos “ondulados”.

Então eu lembrei que quando tinha uns 10 anos, uma das minhas coleguinhas  de classe tinha o cabelo loiro bem cachiadinho. Aqueles cachinhos bem fininhos, e milhares deles. Era quase um afro loiro e ela era linda. E pensei, quero ter cachinhos assim também.

cabelo-amor

O único arrependimento que eu tenho de ser natural é que eu não fiz isso antes.

Foi uma decisão radical, principalmente porque desde que me entendo por gente vi minha mãe alisando os cabelos e fazendo escova. E todo mundo fazia relaxamento, era normal. Além disso o pior de quem relaxa ou alisa, é ver a raiz crescendo. Foram tempos difíceis (drama!!) Usava faixas pra disfarçar as raizas, teve uma época que tava tão estragado as pontos e sem forma que cortei curto. Não Joãozinho como quando eu era pequena (não tive coragem), mas curto pertinho da orelha. Além disso era hidratação constante. Muita máscara, óleo de coco e muito amor.  Tive que abraçar minha auto-estima também, porque ouvia diariamente que meu cabelo estava horrível.

Até o momento eu não tinha a aprovação de todos ao meu redor, mas eu já tinha percebido isso não é realmente importante.

Eu não preciso da aprovação de ninguém pra ser feliz. Eu só preciso me aceitar e me amar.

Eu tinha feito o que eu queria fazer, eu tinha conseguido o olhar que eu queria. Eu estava orgulhosa de mim mesma e não importa se alguém não estava apaixonada por meu cabelo na fase de transição.

Hoje já passaram 10 anos que abracei meus cachos e amo ser natural. E nesse tempo eu percebi que de alguma forma, eu consegui passar os meus medos internos, e o medo dos outros não aceitarem as minhas escolhas para perseguir o que eu queria. Sei que ser natural não é para todas, mas eu estou feliz pois eu resolvi experimentar por mim mesma. No final, aceitar meu cabelo natural era muito mais do que tentar um novo look – era aceitar como eu sou, minha identidade.

E você já foi natural, com o seu cabelo? Passou por alguma transição? Como foi? Consegue se relacionar com a  minha história?


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

25 Comentários

Categorias: cabelo | Tags:



 
Veja também:








 

05.04.2012

Parece que eu estou vendo a cara de espanto de vocês: “CERVEJA!!??”

Eu sei o que você está pensando. “Por que vou desperdiçar uma boa cerveja no meu cabelo?”

Bem, para quem não sabe a cerveja é um condicionador excelente para os cabelos opacos. Ela contém várias vitaminas (principalmente a vitamina B) e proteínas (alem de maltes e lúpulo) que ajudam a dar brilho, maciez e volume ao cabelo! Essa dica serve para as cacheadas e também pra quem tem o cabelo liso, principalmente pra quem vive se perguntando: “ como dar volume aos cabelos”. A levedura na cerveja,vai fazer as cutículas do seu cabelo crescer quase que instantaneamente. Outra super dica: Quanto mais escura a cerveja, maior o volume!
Há quase um ano eu li sobre isso numa revista que era o segredinho da Catherine Zeta Jones e comecei a aplicar no meu cabelo 1x por mês. Eu ate fiz um vídeo sobre isso no meu canal no youtube e varias meninas usaram a dica da cerveja e disseram que amaram os resultados. O video ja tem mais de 30 mil views.. \o/\o/

E para usar a cerveja no cabel é super simples:

Abra uma latinha de cerveja, e deixe descansar por uma hora.
Lave o seu cabelo com shampoo como de costume.
Despeje a cerveja no seu cabelo e certifique-se que aplicou da raiz às pontas. Depois faça massagem no couro cabeludo, e deixe descansar por cinco minutos.
Enxágüe bem com água (vai sair todo o cheiro da cerveja)
Você pode usar o condicionador no cabelo depois. Você vai perceber que seu cabelo está mais maleável, com movimento, brilhante e livre de resíduos.

Então é isso gente, vamos embebedar esses cabelos? =)

Mais

Dicas caseiras de como cuidar do cabelo cacheado (vídeo)


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

20 Comentários

Categorias: beleza, cabelo |



 
Veja também:








 

23.02.2012

Faz um tempinho que não escrevo  sobre cabelos cacheados, mas como comentei num post anterior, a vida tem sido mais rápida do que eu, e estou tentando organizar meu tempo.

Depois que comecei a postar vídeos no meu canal no Youtube (me segue la), tenho recebido comentários e emails de meninas que querem assumir seus cachos, ou estão naquela fase chata de transição (entre o cabelo relaxado/alisado para natural).  Eu sei, não é fácil esse período, e sempre vem aquela pergunta: “como conseguir cachos bonitos e definidos”?

Existem vários truques que podem ajudar a ter um cabelo mais bonito. Por exemplo, na época que me cabelo estava em crescimento, eu usei muita faixa e turbante pra disfarçar a raiz em crescimento Mas alem disso, ter um bom corte, hidratar sempre e cuidar do cabelo com carinho ajuda. Usar um bom creme leave in e um modelador de cachos é essencial. No dia-a-dia, vocês podem tentar modelar os cabelos com os dedos como eu expliquei nesse vídeo aqui.

Mas recentemente me deparei com uma técnica bacana para modelar os cachos, que achei super interessante e resolvi dividir com vocês.  O Flexi-Rod, que eh um rolinho flexível de borracha e a idéia eh usar no cabelo úmido ou seco para dar forma aos cachos. No Brasil eu não sei exatamente como chama isso, mas eu lembro que quando eu era pequena minha mãe usava no meu cabelo pra fazer estilo xuxinha. “É o novo!”.

Eu descobri essa técnica com uma amiga que é afro-americana e sempre a vejo com os cachos lindíssimos, super definidos. Naturalmente ela tem o cabelo bem crespo, então perguntei como ela chegava naquele resultado e ela disse que de três a quatro vezes na semana ela usava os flexi-rods. Claro que da trabalho, você tem que ficar algumas horas parecendo uma medusa, mas no final o resultado é incrível.  O bom do flexi-rods é que você pode definir o cabelo da forma que achar melhor. Pode usar no cabelo todo, só nas pontinhas, fazer o cacho mais fino ou mais grossinho.

Eu tentei procurar online, mas não encontrei pra vender no Brasil. Talvez porque eu não sei o nome correto em português (se alguém souber deixa o recado aqui em baixo). Caso você não encontre pra vender na sua cidade, coloquei pra vender um kit com 28 rolinhos de diversos tamanhos na minha lojinha online. Link AQUI

Encontrei esse vídeo ótimo no youtube ensinando a usar os flexi-rods.

O cabelo dela ficou lindo, nao foi?


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

34 Comentários

Categorias: cabelo | Tags:



 
Veja também:








 

15.01.2012

Já faz um  tempinho que não faço um vídeo novo pro meu canal no Youtube, falta de tempo, isso e aquilo. Mas tenho uma ótima surpresa pro canal, ganhei de natal uma Canon T3i que faz filmes incríveis em HD (a la hollywood), e já fiquei super empolgada para filmar.

Fiz meu primeiro video de 2012! Dessa vez,  o video fala um pouco da minha rotina de produtos para os cabelos, e algumas dicas para as garotas que como eu são cacheadas, tem orgulho dos cachos e querem ser natural.

Visitem e se inscrevam no meu canal no Youtube, vou começar a postar vídeos de auto-estima, dicas de beleza, vlogs de viagens, informações sobre viver fora do país e muito mais. Quero deixar a nossa comunicação mais e mais próxima.

Espero que gostem do resultado e quero mais sugestões para futuros vídeos.

 


Compartilhe:

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Pinterest

19 Comentários

Categorias: beleza, cabelo | Tags: ,



 
Veja também: